11 março, 2012

Aristocratas arrogantes e petulantes, a acordarem para a vida... mal dispostos.

elites politicos
Os cargos deveriam ser disputados democraticamente, submetidos à livre concorrência.
Um lugar cativo e conquistado apenas pelos anos de carreira,  rejeitando qualquer concorrente ou adversário, rejeitando qualquer teste de aptidão, é um acto de pura cobardia e injustiça, que vai contra os princípios democráticos.
Mas existem alguns aristocratas que ainda vivem ao abrigo dessa mentalidade... até ao dia que descobrem que têm que se "humilhar" e disputar um cargo com a "plebe"!!! Có horrrore !!!!!

Esta história parece irreal de tão ridícula....
« De forma mui aristocrática, Pedro Dias recusou submeter-se a um concurso público e, por isso, vai abandonar o cargo. Justificações?
"Tenho CV para aqui estar. Vou concorrer com quem? Com os meus alunos?". Querem mais?
Ok, aqui têm: "fui o mais jovem académico da Academia de Belas Artes, aos 33 anos. Sou o mais antigo nas áreas do património. Alguém com o meu CV não concorre". Já estão enjoados? Ok, ainda bem que não, porque há mais: "Nunca concorri a cargos públicos e não é agora que vou começar". Que nível. Que espírito kantiano. Que ética republicana, meu Deus. Ó meu Deus, um professor de Coimbra, meu Deus.

E, agora, o leitor mais desatento pergunta: "mas se ele é tão bom, por que razão tem medo do concurso?". Na resposta, devo dizer que não se trata de medo da concorrência, ora essa. Já sabemos que Sua-Excelência-Professor-Doutor-Pedro-Dias-the-first é imbatível, já sabemos que Sua Exa. é o Ronaldo e o Messi das bibliotecas. Não, o problema não é a concorrência, mas a própria ideia de concurso público. É isto que faz confusão ao Professor Doutor Pedro Dias. E eu até percebo, sim senhora: não se fazem concursos públicos em regimes aristocráticos."  Expresso.

6 comentários :

  1. Eu penso que poucas pessoas percebem que há "cargos dados Divinamente"... O "dr. Botas" detinha o cargo por ordem Divina, penso até que foi o último absolutista, depois deste o Belzebu debateu-se com o "Padre Eterno" e ganhou-lhe ao berlinde o "poder" e para se vingar mandou uma "corja de apaniguados" para reinarem no maior deboche, que por ironia do destino lhe chamaram "estado de direito democrático", mas só por ironia. Portanto se este absolutista teima na "ordem Divina" até o poderíamos louvar e acarinhá-lo pela idiossincrasia.
    POBRE POVO, TRISTE NAÇÃO.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOL Obrigado pela ironia que enfatiza e enriquece a ideia que tento transmitir... Muito bom mesmo agradeço e Portugal também devia agradecer por expor ao ridículo a forma como se distribuem os cargos públicos:
      Outro exemplo igualmente ridículo e na mesma linha de abuso é este artigo; http://apodrecetuga.blogspot.com/2011/10/12-milhoesano-em-cargos-da-era.html
      Os velhos e antiquíssimos cargos vitalícios!!!

      Eliminar
  2. Eu não consigo entender capazmente a nossa actualidade, não a dos políticos corruptos e oportunistas que roubam descaradamente num sistema vicioso que eles próprios vão elaborando e que por máxima hipocrisia dão-lhe o nome de "estado de direito democrático", assim como o "dr. Botas" chamava ao sistema vigente (no tempo dele) o de "democracia organizativa", claro que cada malfeitor pode dar o nome que quiser ás suas obras... não as dos apoiantes a estes malfeitores, porque é evidente o que eles pretendem... não a da "santa madre igreja" que essa tanto apoia o Hitler como o "mija na escada" desde que não perca o seu poder... mas a atitude submissa dos espoliados que parece ainda não terem adquirido a consciência que são eles que geram a riqueza da NAÇÃO que é roubada descaradamente e mal gerida por um bando de incompetentes e malfeitores com apoio de toda a corja de "lambe botas" através dos meios de comunicação, dos meios ditos de intelectuais e de tudo quanto é forma de submeter mansamente "a mole" a que por ignomínia do sistema chamam de "cidadãos" e esta situação está generalizada no "mundo democrático" em que nuns sítios é mais evidente que noutros, mas no nosso país é gritante e tudo vai andando como se vivêssemos na maior harmonia e "justiça".
    QUE RAIO DE PÉRFIDA ACTUALIDADE ESTAREMOS A VIVER???
    QUE RAIO DE FUTURO UMA NAÇÃO PODERÁ TER COM ESTA CORJA???
    SERÁ QUE NINGUÉM TEM CONSCIÊNCIA DA MONSTRUOSIDADE HISTÓRICA QUE ESTÃO A DESENVOLVER E DAS SUAS CONSEQUÊNCIAS???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No meu entender, o seu comentário ganhava outra força se, nem que apenas numa linha, apoiasse o novo método de acesso por concurso.

      Eliminar
  3. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
    A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
    Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
    Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
    A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
    MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

    ResponderEliminar
  4. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
    A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
    Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
    Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
    A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
    MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

    ResponderEliminar