09 janeiro, 2013

Proposta de soluções para salvar Portugal.


Carta enviada ao Blog 
"Ola  Zita
Nunca antes escrevi nada disto para ninguém, mas como as perspectivas são muito negativas, aqui deixo uma opinião para iniciar uma discussão:
Como muito se fala de revelações de sujeiras e impunidades, nesta data já são do conhecimento público as maiores vigarices de que não há memória neste país. Por isso penso que é urgente iniciar uma corrente de discussão e consciencialização em busca da solução para este país sair desta miséria progressiva e galopante gerada por pessoas que nunca mereceriam a menor confiança, porque nem eu nem qualquer empregador lhes daria emprego se soubéssemos os seus antecedentes.
As raras vezes que votei, sempre foi NULO, porque nunca concordei com este sistema eleitoral que se diz democrático. Teoricamente a democracia é um sistema justo, mas a prática tem provado ser cada vez mais a maior génese de corrupção:

Quem vota nos partidos, vota sempre com o sofisma de poder obter vantagens se o partido ganhar, e se pertencer ao partido, isso é mais que óbvio. Temos assim uma evidência do princípio da corrupção, porque todo o sistema eleitoral se baseia na defesa dos interesses dos eleitores. Deste modo se legitimam todas as acções dos indivíduos eleitos que passam a ter autonomia e liberdade para fazer tudo o que quiserem, porque o passam a fazer em nome do partido, e nunca em defesa do interesse nacional que vai ficando cada vez mais debilitado até falir como já também aconteceu antes do Salazar. Basta ver os arquivos existentes para enxergar os níveis de imoralidade e de corrupção que se verificaram naquelas épocas tal como acontece actualmente. Com este sistema, até a própria justiça passa a ser a maior farsa ao serviço de uma ditadura soberana, que ao nível da imoralidade supera de longe qualquer regime monárquico despótico, porque se este alimenta apenas a família real, a suposta democracia torna-se num eterno paraíso de pastagem para a infinita multidão de porcovampiros associados aos partidos que dividem privilégios entre si, para que o sistema continue a sustentar os mesmos mafiosos que se protegem mutuamente. Acerca desta protecção, temos actualmente muitas provas de que até mesmo os partidos que se dizem de esquerda são coniventes na defesa das mordomias e dos tachos atribuídos aos deputados.

Não concordo que os partidos sejam subsidiados pelos cofres do estado, e que os deputados tenham a liberdade escandalosa de poder fazer tudo o que apetece sem controlo de ninguém.
Todos os políticos deveriam ser apenas funcionários públicos ao serviço da nação. Basta perceber como funcionam os países nórdicos, onde a população mais culta, já determinou outras formas de governo baseadas na administração da defesa dos interesses nacionais. É evidente que em Portugal, esse nível cultural dificilmente será atingido nos próximos cinquenta anos, e por isso estamos condenados a continuar a ser escravizados pelo mesmo sistema, porque o governo que temos é exactamente o reflexo do nível cultural dos eleitores.

Se procurarmos uma alternativa a este sistema, este povo não a irá aceitar nem compreender, porque do mesmo modo que defendem os seus clubes de futebol, nunca irão aceitar a defesa dos interesses nacionais, porque a sua cultura é por tradição uma corrupção natural feita por criaturas incapazes de aceitar a defesa dos interesses da nação.
Costumo comparar a administração de um país com a de uma empresa, ou até mesmo com um condomínio, tal como aqueles que administro e participo, onde o administrador é eleito por merecer credibilidade e confiança, e não por defender interesses de maiorias.

Para podermos salvar Portugal terá que surgir uma administração formada por pessoas de indiscutível integridade, com provas curriculares isentas de interesses ocultos, que funcione em regime de total transparência… o que contraria totalmente todas as mafiosas organizações ligadas ao actual sistema politico.
Sei que há pessoas honestas e competentes que se têm mantido afastadas porque a actual ditadura democrática as pode aniquilar se suspeitar da sua oposição… Basta ver que até nas recentes manifestações, os organizadores aparecem sempre de cara tapada… e assim se alimenta a corrupção enquanto não surgirem pessoas determinadas a acabar com esta miséria infinita, porque esta gente está disposta a implantar a mais feroz das ditaduras e a eliminar todos os opositores só para manter os interesses que continuam a usurpar.

Deixo aqui uma proposta de discussão aberta que tenha por objectivo construtivo, a busca de uma proposta de administração nacional independente e imparcial, que possa ser legitimada para acabar de vez com a actual imoralidade, porque é urgente substituir toda a legislação cozinhada para defender as máfias existentes.
e Viva Portugal!"
António Lisboa

Partilho muito do que está escrito nesta carta, mas o cerne da questão mantém-se. Soluções existem. Não existe é forma de arrancar do poleiro, o problema. Não existe é forma de erradicar o regime instalado.
Não existe é uma solução para retirar o poder da mão dos que actualmente tomaram posse dele, se apossaram do país, dos impostos, da justiça, da constituição e da mente dos portugueses. 

Alguém com soluções para este primeiro passo? 


30 comentários :

  1. Ora aí está um texto claro e explicadinho e educado, e quase a roçar o politicamente corecto mas ainda bem que só roçou.
    Aqui já alguem escreveu que a solução chama-se Aristocracia (uma nova muito antiga). Os que estão formatados pela democracia (tantos, todinhos)e já descobriram a merda que é tentam "aldrabar" e falam de meritocracia... Mas o unuico merito neste sistema corrupto era eliminar fisicamente os cleptocratas que abril pariu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já viu o filme "Os Miseráveis"? Aconselho-o vivamente.
      Você identificar-se-á, formidavelmente, com o Javert!
      Saiba que a História, embora lentamente, encarrega-se de eliminar todos os fachismos. Sejam os de antes, sejam os posteriores ao 25 de Abril de 1974.
      A sua "visão" da História afunila-lhe a alma.
      Cuidado com o arrependimento...

      Eliminar
    2. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
      A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
      Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
      Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
      A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
      MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK

      http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

      Eliminar
  2. Do texto acima:

    "Não concordo que os partidos sejam subsidiados pelos cofres do estado".

    Posso entender que as pessoas defendam o seu dinheiro (dos impostos) mas têm de ter um pensamento mais profundo, sob pena de tornarem inúteis os contributos, potencialmente práticos que, por aqui, aqui vão deixando:

    - Se os partidos não são financiados pelos cofres do estado, são financiados porquê?

    Eu digo:

    - Pelos "patos-bravos" que querem modificar o PDM (Plano de Desenvolvimento Municipal) incluindo os seus terrenos, até aí rurais, em terrenos urbanos, recebendo loucas mais-valias.(Veja no youtube as declarações do Paulo Morais sob o tema).
    - Pelas grandes construtoras que querem mais e mais obras desde as 5 linhas de TGV a aeroportos.
    - Pelos bancos, que por detrás de todos os interesses, financeiros e económicos, aumentam os seus ganhos,já pornográficos, em mais e mais juros sejam pagos pelos privados, sejam pela dívida pública.

    E são os NOSSOS IMPOSTOS a suportar toda esta "festa" que nos trouxe até aqui!

    E outros interesses, vários, onde qualquer um que queira qualquer coisa ilegal, tenta passar dinheiro "por debaixo do pano" para um homem ou um partido, para o financiar.

    Os partidos devem ser EXCLUSIVAMENTE financiados pelo estado, mas as suas despesas - incluindo as regionais e municipais - devem ser colocadas na internet, transparentes e acessíveis a todos e, os seus gastos em campanhas eleitorais, intensamente fiscalizados!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Zita:

      Comparar as necessidades um partido político, com as um cidadão normal é, em termos de debate, afunilante. Uma pequena retrospectiva:

      Os partidos, em Portugal e no mundo representaram, antes de se corromperem, veículos para aproximação de pessoas, necessariamente diferentes mas, com objectivos sociais comuns.
      Por isso, quase todos eles, se designam pelo nome desses ideais.

      Quem se aproximou dos partidos, numa primeira fase, fê-lo para lutar por uma ideia de sociedade futura.

      Com o decorrer dos tempos, muitos deixaram os partidos - porque não correspondiam aos seus sonhos, interesses ou porque simplesmente a vida partidária era muito exigente em termos de perdas de noites, fins-de-semana, férias e acaba por ameaçar e mesmo destruir qualquer vida familiar.

      Acabaram por ficar nos partidos os "babados pelo poder", os "sem alternativa profissional" enfim, os "sem o abrigo da vida normal".

      Foi esta escumalha, que se foi vendendo às construtoras, aos bancos, enriquecendo logo no poder ou imediatamente à saída dele.

      E nos foi desgovernando...E "nós" deixámos: Votámos e voltámos a votar nestes virus que vão corroendo a carcaça que resta do 25 de Abril de 1974, com o qual muitos sonharam, outros o fizeram mas, muitos mais, tentaram manter...

      Hoje todos os bem-intencionados de Abril sentem-se roubados, usados, traídos por esses virus: Mas sem alternativas credíveis para gritar a sua insatisfação - para gaudio dos virus e seus descendentes...

      É necessária uma alternativa. Credível.

      Para quando?

      Eliminar
    2. Os partidos são pessoas. O que fazem ou deveriam fazer é trabalho. Porque acha que não devem ser comparados a cidadãos normais?

      Eliminar
    3. É antidemocrático ou mesmo ilegal, o estado gastar dinheiro do erário público para financiar todo o teatro hipócrita das campanhas politicas. Desprovidas de verdade e de honestidade. Desprovidas de valor legal, inclusive, podem considerar-se publicidade enganosa.
      Feitas de promessas ocas, sem valor jurídico, politico ou mesmo ético, que podem ser proferidas mas não cumpridas.
      Ideologias que em nada se aplicam na realidade.

      É para isto que pagamos impostos? Para ser enganados e levados a crer num processo que devia ser de confiança e nunca o é?
      Estamos a financiar a luta por um lugar ao Sol dos militantes políticos, e em mais nenhuma circunstancia, o estado financia portugueses que todos os dias lutam por lugar ao Sol.
      Isto não é igualdade...
      POLITICO É ESTAR SEMPRE AO SOL ANTES DEPOIS E DURANTE O DIA??? Que tipo de justiça é esta?


      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2011/08/ser-politico-e-ganhar-antes-de-o-ser.html#ixzz2HUR2Jeuh

      Eliminar
    4. Olá, Zita!
      Até se encontrar alternativa que prove melhor, a Democracia é o menos mau dos sistemas políticos conhecidos, em termos de respeito pelos direitos dos cidadãos.
      Todas as democracias no mundo se baseiam em partidos políticos.
      Um partido é uma entidade aberta, onde qualquer cidadão interessado no futuro político do seu país, pode participar por 1, um, euro por mês (casos que conheço, PSD,PS,CDS,PCP).
      Se toda a população não integra qualquer partido, é porque não se dinamiza o suficiente - em termos de vontade de participar, disponibilidade para apresentar propostas, capacidade de se fazer ouvir... - para tal.

      A diferença, a meu ver de partida, entre um partido e um cidadão. Este é apenas um. O outro, é o somatório da vontade de muitos.

      E todos percebemos, corrupções à parte, que em qualquer esquema de sociedade, a vontade do grupo prevalece sempre sobre o querer individual.

      Um partido não é - ou não devia ser - uma agência de bons empregos.
      Se tal se passa, é em parte, porque quando um partido toma o poder, existe a necessidade de colocar em postos-chave pessoas de confiança, por forma a garantir que as suas linhas programáticas são cumpridas e não torpedeadas por desconhecidos, eventualmente, adversários dessas intenções.

      Claro que existe um óbvio mau uso do poder, uma deriva revoltante de corrupção.
      Atingiu-se um patamar onde os corruptos podem ser sobranceiros, impunes e até receberem manifestações de aplauso das suas vítimas: Isaltino, por exemplo.

      Mas aqui entra a manipulação, não apenas dos partidos, mas do "sistema". As rádios, tvs, jornais estão nas mãos de capitalistas e como tal, branqueiam os seus amigos na política por forma a manterem o status sem serem afectados.

      Democracia é um sistema que engloba toda e qualquer opinião que se organize e proponha alternativa. Esta apenas deve tomar forma de movimento, bloco, associação ou partido.

      Eliminar
    5. ALGUNS EXEMPLOS QUE FUNCIONAM
      QUINTO: Ausência de cargos de designação politica:
      Na Finlândia, os secretários de estado fazem carreira sendo sujeitos e superando avaliações e provas objectivas, em vez de designação partitocrática como em Portugal . Em 2005 fez-se uma reformulação do sistema para permitir que organizações políticas pudessem escolher os secretários de Estado novamente , mas muitos deles ainda são funcionários públicos, actualmente continuam a ser promovidos por mérito.

      SEXTA: A estrutura do poder é de coligação:
      Corrupção espalha-se mais facilmente quando o poder está concentrado em apenas (em Portugal o poder está cada vez mais concentrado apesar de fingirem que se divide em 3 partidos) é por isso que na Finlândia se promove a tomada de decisão através do debate e consenso. O Conselho de Ministros tem mais poder que o Presidente da República. A responsabilidade das decisões é dividida por vários, e não por 1 ou 2.

      SÉTIMO: O princípio do livre acesso ao poder.
      A possibilidade de se tornar um membro do poder politico ou de ministérios, finlandês não está circunscrito numa elite intelectual formada em instituições educacionais concretas (como na França), nem em pessoas que tem a capacidade de atrair investidores de diferentes empresas para financiar suas campanhas ( EUA exemplo) ou membros de partidos e organizações políticas públicas cujo único mérito foi alcançado internamente e apenas no seu partido (caso espanhol e português)
      Na Finlândia, as posições no poder, são ocupadas por funcionários públicos (seguindo uma escala de mérito) e cuja escalada na carreira está aberta ao conhecimento de todos os finlandeses.

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2011/06/finlandia-como-lutou-contra-corrupcao.html#ixzz2HW8wCFGS

      Eliminar
  3. Caro António Lisboa:

    O sonho é sempre cor-de-rosa.
    A realidade que encaixa esses sonhos tem milhares de tons de cinzento.

    Homens bons e competentes?
    São todos. Na Oposição.
    Passam logo a corruptos e bandidos quando passam pelo Poder.
    Oliveira e Costa e Duarte Lima, por exemplo, não eram excelentes pessoas ANTES de chegarem ao poder? Claro que sim!

    A OCASIÃO É QUEM FAZ OS LADRÔES!!!

    Só quando o internalizarmos e obrigarmos QUALQUER UM que atinja o poder, a temer rápida e fortemente as consequências dos seus desvios, poderemos ter um exercício de funções governativas consonantes com os votos que o elegeram.

    NUNCA ANTES!

    ResponderEliminar
  4. "
    Não existe é uma solução para retirar o poder da mão dos que actualmente tomaram posse dele, se apossaram do país, dos impostos, da justiça, da constituição e da mente dos portugueses.
    Alguém com soluções para este primeiro passo?
    "
    Em Espanha, muito recentemente, na sequência do movimento 15M, foi fundado o Partido X.
    Para dar alternativa a quem está farto deste sistema de aí colocar o seu voto.
    De que estamos à espera?
    Onde juntam, em Portugal, as forças todos aqueles que se dizem fartos disto, traídos, querendo mudar?
    Nos comentários das televisões?
    Pode dar algum dinheiro a quem lá vai.
    Mas, socialmente, já começa a ser uma perda de tempo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Formar um partido novo, com pessoas fora da esfera parasitária, é sempre bom mas não chega para derrubar este regime podre.

      Os media nunca irão dar cobertura ás actividades desse novo partido, eles vão atrás da campanha do PSD, do PS, do Portas nas feiras, e dos Trotskistas mais as suas palavras de ordem. Nos debates Televisivos só entram os do sistema.
      O Marcelo na sua cronica aos domingos analisará sabiamente a performance do Coelho e do Seguro sem nunca se referir ao novo partido.

      E mesmo que a mensagem de um novo partido passe e tenha grande adesão nunca conseguiria mudar significativamente nada nem mesmo com um hipotética maioria absoluta.
      Em caso de maioria absoluta, os restantes poderes podres encarregar-se-iam de minar a governação do novo partido, com a comunicação social sempre a destacar e inventar factos negativos. O Presidente a vetar medidas, o TC a mesma coisa e a banca a fazer terrorismo económico.
      O que eu acho que poderia resultar melhor(Sei que poucos irão concordar), seria algumas pessoas que vivem no sistema, mas não são integralmente corruptas, organizarem-se e fazerem um golpe de estado rápido e surpreendente.
      Estou a referir-me a pessoas da Justiça, da PJ,das Secretas, da Policia e da tropa. Entre elas organizarem, e fazer algo inesperado e contundente. Fechar as fronteiras de imediato para evitar que os ladrões saiam e lançar de imediato uma caça ás bruxas e detendo para posterior mega-julgamento os terroristas que nos tem feito a vida negra.

      Depois do processo de limpeza, estas forças chamariam personalidades limpas e com grande craveira ética e moral para formar um governo e no futuro definir um modelo de "democracia" mas completamente diferente deste, uma vez que este modelo é demasiado permissivo a ser corrompido.
      Portugal necessita de um modelo mais rígido, menos democrático, mas com democracia suficiente para evitar que um futuro governo melhor que este também ele fosse apodrecendo no poder.


      Eliminar
    2. Caro Pedro Lopes:

      Existe na sua exposição bastante bom-senso no sentido de avaliação da realidade e mais, vontade de apontar caminhos de saída deste pântano onde chegámos. O que nestes espaços é raro e por isso, louvável. Presto-lhe as minhas homenagens.

      Porém, qualquer golpe contra um estado europeu membro da UE, tido como democrático,seria necessariamente anti-democrático e implicaria de imediato a nossa exclusão dessa organização (que só aceita no seu seio democracias) com todas as consequências económicas, financeiras e sociais facilmente previsíveis.

      Recordo que o Gorbachev,apenas quando assumiu o comando do politburo deu a machadada final na União Soviética, apesar da sua podridão de décadas.

      Mas, mesmo um golpe dado a partir do topo, arrasta consequências sociais tremendas. Recordo-lhe, por exemplo, a quantidade de altas patentes militares e técnicas que trabalharam como operários da construção civil, por essa Europa, tb em Portugal.

      Só há um caminho: a conquista do poder pelo voto.

      Eu leio, talvez erradamente, a sua intenção como um golpe palaciano onde várias figuras decentes substituiriam os corruptos que por lá abundam.
      Mas tal, é absolutamente condenável do ponto de vista legal e institucional e nenhuma organização internacional o apadrinharia.

      Recorda-se do histerismo do Paulinho Portas aquando do último golpe de estado na Guiné-Bissau?
      Ele nunca referiu o combate real que por lá existe envolvendo narco-traficantes, que submetem a qualidade de vida do povo ao nível da mais dolorosa pobreza.

      O Paulinho apenas guinchou "contra um golpe à democracia na Guiné-Bissau". Porquê?
      Porque ele defende o seu interesse! Ele poderá roubar, mentir, corromper-se.
      Desde que o faça em democracia, pois claro!

      Homens como Paulo Morais, a associação Transparência e Integridade Associação Cívica (TIAC) devem ser núcleos de atracção duma opinião pública - agora, já sedenta de alternativas aos partidos do costume - que podem se constituir como entidades capazes de discutir, eleitoralmente, o poder. Ou seja, constituirem um partido político.

      Já agora. Ser membro da TIAC fica em 10, dez, euros por ano. Quantos de nós já a integram?

      O número de portugueses inscritos nesta organização será um aviso sério a qualquer governo que queira fazer negócios por conta própria, como este tentou com a TAP e fez com o Banif!

      Eliminar

    3. Anónimo 09 Janeiro, 2013 17:52,

      Eu defendo outro tipo de União Europeia. Nesta não me revejo minimamente. Por isso se nos expulssassem seria uma oportunidade e não um castigo. Há tantos países fora da EU com melhores condições que nós.
      Portugal existe há 800 anos e a UE existe há 30.
      Era o que faltava agora termos de gramar com um governo de impostores, para agradar á UE.

      Pelo voto, sim seria melhor, mas acha que é possível?
      Eu expliquei bem essa impossibilidade no post anterior.

      Eliminar
    4. É verdade Zita, por isso eu julgo que o ideal seria até que fossem os países mais poderosos a fazerem uma revolta contra este tipo de politicas de casino. Mas como nesses o PIB é muito maior que o nosso, o que é desviado para os corruptos não se faz notar tanto como cá.

      Eliminar
    5. Caro Pedro:

      Acredito que se alguma vez, desde Abril de 74, é possível mudar alguma coisa neste regime, será nas próximas legislativas.

      As autárquicas, em Nov próximo - ainda que o amigo do Relvas despeça o Gaspar em Julho, depois de se confirmar mais um falhanço da sua teimosia Friedmaniana - irão mostrar o pior resultado de sempre do PSD.

      Seguro não mostra "golpe de asa": Nada tem a oferecer além da continuidade dos sacrifícios.

      Um partido que apontasse apenas o corte com a troika, tipo Bloco ou PCP pelo que representam (comunismo assovietado) não atraem votos.

      Um partido que colocasse a anticorrupção como bandeira, que procurasse soluções internacionais, fora da UE, para a dívida pública, que trouxesse alguma novidade vestida de esperança... poderia colocar uma vintena de deputados em S. Bento...

      Eliminar
  5. Pedro Lopes

    Também és faxista pá?
    deixa-te desses merdas
    Viva a democracia. O povo é quem mais ordena
    viva o aristides
    abaixo o grande portugues que ganhou o concurso da tv

    ResponderEliminar
    Respostas


    1. O POLVO É QUEM MAIS "ORDENHA" !!!!

      Este é mais adequado á realidade observável.

      Qsfoda o Aristides um burlãozeco de meia tigela elevado a herói nacional.

      Eliminar
    2. Pedro Lopes,
      Não te chateies muito que o patego o que quer é cinema porque ler cansa.
      Estes pseudo-intelectuais conhecem a historia que Hollywood lhes conta. São ignorantes e não tem culpa, mas há uma escumalha de terroristas intelectuais que esses sim deveriam ser abatidos.
      Não merecem nada, habituaram-se (induziram-nos) a identificar-se com o coitadinho, com o desgraçadito, e não concebem qualquer forma de superioridade. Oh! Esses “bons”, já Nietzsche os tinha topado:
      “Verídicas: poucas pessoas sabem sê-lo. E aqueles que o sabem estão ainda longe de o querer. E menos do que ninguém, os bons.
      Oh! esses bons! Os bons nunca dizem a verdade.
      Ser bom desta maneira é uma doença do espírito.
      Estão sempre prontos a ceder, esses bons, a render-se; o seu coração aprova, obedecem com toda a sua alma; mas aquele que ouve toda a gente deixa de se ouvir a si próprio.
      É preciso reunir tudo que os bons chamam mau para produzir uma única verdade; ó meus irmãos, sois bastante maldosos para produzir semelhante verdade?
      Audácia temerária, prolongada desconfiança, recusa cruel, aversão, ferro que corta o que é vivo - como é raro encontrar tudo isto reunido! Mas é desta semente que nasce a verdade.
      Foi na proximidade da má consciência que nasceu e se desenvolveu até agora toda a ciência. Quebrai, discípulos do Conhecimento, oh!, quebrai as antigas tábuas!”
      — Nietzsche, Assim Falava Zaratustra

      Eliminar
    3. Ao autor do texto acima, desejo as melhoras!
      E, já que Nietzsche foi referido, devo dizer-lhe que até hoje, nunca estive louco nem tutelado pela família.

      Eliminar
    4. "...,desejo as melhoras!..."
      Ora aí está uma intervenção extremamente inteligente. Estamos impressionados com tanta sanidade mental.

      Eliminar
  6. Mais uma boa noticia .... Para o Governo!!!

    http://www.publico.pt/economia/noticia/fmi-propoe-corte-de-20-dos-funcionarios-publicos-e-de-7-nos-salarios-do-estado-1580017

    Os tais amigos do FMI (Fundo Mafioso Internacional), querem que o governo despeça 20% de funcionários públicos, e que, polícias, militares, professores, médicos e juízes tem demasiadas regalias.
    Alguns de facto talvez tenham regalias a mais.É verdade.
    Mas falta aqui uma classe, a mais parasita de todas elas. A classe politica, os parasitas de institutos, de câmaras e de fundações não são referidos.
    Policias, médicos, professores ainda podem fazer alguma coisa(uns mais que outros), ainda tem algum papel na sociedade, mas estes é que levam a paulada e os psicopatas ficam de fora.Triste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo assim pergunto-me, será que tínhamos assim tantos professores a mais? será que temos assim tantos FP a mais?
      Será? Ou estamos a cortar na carne para alimentar as gorduras?
      Creio que tb devemos questionar tudo isto. Será que andamos a sustentar milhares de FP a mais há décadas?
      Realmente não há estado que aguente, são demasiados a sugar o erário público.
      Por vezes temos que nos deter e pensar que talvez tenha que ser, mas o que afronta é que depois de se proceder ao despedimento de todos os que estão a mais, em menos de 3 ou 4 anos, estará tudo na mesma, o estado cheio a abarrotar de tachos e boys, girls e amigos, familia e parasitas...
      Demasiado polémico, mas não podemos estar sempre contra tudo sem pensar se não estaremos contra nós próprios e o país.

      Devemos sim criticar estes cortes, tendo em conta que se mantêm estas afrontas...
      NOTICIA DE HOJE ... FMI propõe dispensa de 50 mil professores e novo corte nas pensões???
      MAS PARA AS TOURADAS HÁ DINHEIRO E PARA ESCOLAS DE TOUROS? (Subsídios do IFAP)
      Se não há dinheiro para a tauromaquia em Portugal, que nome se dá a isto, então???
      Diário da República, 2.ª série — N.º 185 — 26 de Setembro de 2011:
      .CASA PRUDENCIO — SOCIEDADE AGRO -PECUARIA LDA . . . . 33 301,81
      . FRANCISCO ANTONIO MOURA ROMAO TENORIO . . . . . . . . . . . 138 534,22
      .JOAO ANTONIO ROMAO DE MOURA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42 402,55
      Diário da República, 2.ª série — N.º 235 — 6 de Dezembro de 2010
      .CASA PRUDENCIO — SOCIEDADE AGRO -PECUARIA LDA . . . .. . . . . . . . . . . . . .156.551,63
      FRANCISCO ANTONIO MOURA ROMAO TENORIO . . . . . . . . . . . . . . . 41.368,8
      Diário da República, 2.ª série — N.º 73 — 15 de Abril de 2010
      CASA PRUDENCIO — SOCIEDADE AGRO-PECUARIA LDA . . . . 123 130,27

      Diário da República, 2.ª série — N.º 63 — 30 de Março de 2011
      CASA PRUDENCIO - SOCIEDADE AGRO-PECUARIA LDA . . . . . . 193 243,46

      Diário da República, 2.ª série — N.º 73 — 15 de Abril de 2010
      .IRMAOS TOSTE COELHO — SOCIEDADE AGRO PECUARIA LDA .. . . . . . . . 35 199,57
      Diário da República, 2.ª série — N.º 228 — 24 de Novembro de 2008
      CASA PRUDENCIO - SOCIEDADE AGRO-PECUARIA LDA . . . . . . 193 243,46
      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/05/agora-vai-saber-verdadeira-razao-porque.html#ixzz2HU2bLRII

      Eliminar
    2. A UE é a campeã mundial da ineficácia.
      E caminha para o mesmo título na ineficiência, também!

      Barroso, derrotado vergonhosamente por Ferro Rodrigues nas europeias foi nomeado, que não eleito, para - calculem - presidente da UE.
      Ou seja: um cachorro com o rabo entre as pernas dá sempre jeito para capataz do oculto!

      Mas este rafeiro do capital internacional veio, agora, dizer a Lisboa que a UE não é parte do problema mas, antes, parte da solução!

      Ó distinto militante do MRPP dos anos 70: Não sabes que os quase 90 mil milhões de euros que a UE colocou em Portugal desde há 24 anos (fundos estruturais), OBRIGAVAM a 25% de dinheiro nacional? E que quando o dinheiro dos impostos acabou, Sócrates Pinto de Sousa recorreu à dívida em bancos estrangeiros?
      Durante 24 anos a UE nunca teve a ideia de propor ao Conselho a avaliação da virtuosidade (contraparidas) dos investimentos efectuados por Portugal?
      Porquê?
      Porque não interessava. O importante era o governo português ir pedir empréstimos aos bancos alemães e franceses. Endividar-se e pagar juros. O resto nunca te interessou...

      E agora apareces como "solução" dos problemas que, por desleixo, arranjaste? Nem para mentiroso serves...



      Eliminar
  7. Ora vejam esta que está muito boa:

    http://grupolegio.blogspot.pt/2012/09/historia-da-ra-que-nao-sabia-que-estava.html

    ResponderEliminar
  8. Existe uma solução, creio ser a única, exceptuando aquela que nos espera: a guerra.

    www.gov.blogtok.com

    Zita; está na hora de divulgar este projecto aqui no blogue;

    Todos os partidos, que infelizmente não tem expressão deveriam unir-se em torno desse objectivo comum. Que cada um dê o seu melhor e teremos um caminho a percorrer.

    Não se pode construir uma alternativa valida sem antes conseguir a confiança e empenho popular.

    Na verdade, só assim se poderá conseguir uma maioria que reunirá os meios para alterar a constituição, a qual visará um futuro baseado na participação colectiva em todos os domínios da sociedade.

    Aquilo que aparenta difícil e complexo tornar-se-á o pão nosso de cada dia. De todos os estudos efectuados, homem a homem e mulher a mulher, evidenciou um consenso deveras impressionante. Arrisco dizer que somente aqueles que estão dependentes a maquinas partidárias são os menos sensíveis à ideia, apesar de que na hora da verdade, tudo e todos poderão ser contagiados por esse amo movimento em rumo a um novo 25 de Abril, mesmo que seja 26.

    Com eles ao poder nesse dia todos teremos o poder do amanhã.

    Sabem quantos PDPs já se contam na praça? Todos com esforço e vontade de construir alternativa. Porque raio todos acreditam no padre da freguesia (sistema político vigente), e todos alimentam a ideia de um dia serem eleitos.

    Na verdade todos juntos, a sufrágio hoje seriam igual a nada. O povo precisa de uma luz ao fundo do túnel e perdoem-me precisam de uma cenoura à frente do nariz por oposição a toda a porcaria que o impede de deixar amarras.

    O modelo para isso? Não brinquem e não compliquem. Será tão simples como somar um mais um, onde cada um de nós, representa o seu partido individual numa lógica de um por todos todos num.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse site tem lá umas propostas interessantes, concretamente no caso da economia e que também defendo.
      Divulguem-no mais.

      Eliminar
  9. Eu gostaria de experimentar uma sociedade como a que é descrita neste site: http://www.thevenusproject.com/

    ResponderEliminar
  10. Estamos a tentar criar uma partido de democracia semi-dirrcta em portugal. Se quiserem visitar, estão convidados.
    A solução para todos os problemas que a actual democracia não consegue eliminar, sobretudo a corrupção.
    http://pdcportugal.wordpress.com/

    ResponderEliminar
  11. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
    A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
    Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
    Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
    A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
    MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK

    http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

    ResponderEliminar