13 setembro, 2015

Só o voto massivo contra os partidos políticos da corrupção poderá iniciar o caminho da mudança que Portugal precisa.

O fim da destruição nacional, pode ser travado por um meio rápido, pacífico
e ordeiro: basta o voto massivo nas próximas eleições legislativas nos partido políticos fora do arco da governação. Apostar em partidos novos, sem vícios, sem cadastro, com garra e que sempre estiveram ligados à denuncia e combate da corrupção. 
Só o voto válido contra os partidos que há 40 anos, claramente, nos desgovernam, os pode travar. Como já se percebeu, ao fim de anos e anos com abstenção, nulos e brancos a atingir valores que rondam já os 60%, essas opções não possuem valor ou poder, são totalmente inofensivos. 
Só voto massivo contra os partidos políticos da corrupção mudará Portugal!

O voto contra a corrupção
Segundo a Recomendação de 13-05-2015 do Conselho Europeu, relativa ao Programa Nacional de Reformas para Portugal, a prevenção da corrupção é prejudicada por uma aplicação ineficaz do quadro jurídico em vigor, havendo necessidade da implementação de um novo quadro legal com o agravamento das respetivas sanções criminais e civis.
Passados 23 anos depois da extinção da Alta Autoridade Contra a Corrupção, os sucessivos Governos – de PS, PSD e CDS/PP, que já somaram 7, e 5 legislaturas da Assembleia da República – de PS, PSD, CDS/PP, PCP e BE -, ainda não foi aprovada uma efetiva legislação capaz de combater a corrupção e o enriquecimento ilícito dos governantes e titulares de cargos públicos.
Os 3 grandes partidos políticos, PSD, PS e CDS/PP, contando com a anuência do BE e do PCP, não quiseram combater o fenómeno geral da corrupção, dela beneficiando durante décadas até aos dias de hoje, e todos eles enriquecendo ilícita e ilegitimamente os seus milhares de governantes, autarcas, boys, girls, jotas e amigos.

O Estado Português é hoje considerado pelas instituições internacionais, como a Transparency International, como sendo um dos mais corruptos do mundo, estando no terceiro lugar da união europeia depois da República Checa e da Lituânia e o quinto mais corrupto do mundo!

A corrupção em Portugal é hoje tão feita às claras que já não espanta que uma Câmara Municipal contrate por amiguismo, em clara violação do código da contratação pública, o gabinete de
advogados do vice-presidente distrital do seu partido político.
Ou, um ministro do Governo, também sem concurso público, possui o seu escritório de advogados a fazer o contencioso de um novo banco, o qual é suportado pelo aval do dinheiro dos contribuintes.
A 1ª Parceria Público Privada da Ponte Vasco da Gama, já custou ao estado o suficiente para construirmos 3 pontes iguais, mas nenhum Governo se atreveu até hoje a pôr fim ao roubo do dinheiro dos contribuintes que são e serão as PPP, nem sequer escutámos nenhum outro partido na Assembleia da República a fazer esta denúncia..
É inegável que a austeridade é uma enorme mentira para legitimar a roubalheira de Estado levada a cabo pelos partidos políticos instalados em Portugal há mais de 30 anos.
Mas, o fim da destruição nacional, com a abrupta mudança de Portugal, pode dar-se por um meio rápido, pacífico e ordeiro: basta o voto massivo nas próximas eleições legislativas no partido político que se apresente com a clara opção em pôr fim ao regime estatal da corrupção.
O voto massivo contra os partidos políticos da corrupção mudará Portugal!

Consulte ainda: 
  1. Partidos portugueses que propõem democracia directa ou participativa e nova lei eleitoral.
  2. O medo que os políticos têm, que os eleitores indignados, comecem a votar...
  3. Voto em branco, nulo e abstenção sem poder
  4. Militares recusam golpe de estado alegando que em democracia se depõem governos pelo voto e não ao tiro. 
  5. O voto jovem pode ser a solução para remover os partidos corruptos do poder.
  6. Mais de 1 milhão de abstencionistas fantasma. Governos oferecem 10% de abstenção
  7. Na Suécia, os eleitores eliminam a corrupção nas urnas. 90% dos eleitores votam, não perdoam atentos contra a corrupção.
  8. Povo acrítico Henrique Neto
  9. É preciso derrubar o partido parasita que elege corruptos
  10. Portugueses trocaram a lealdade ao país pela lealdade aos partidos.
  11. A NOSSA MANSIDÃO PROMOVE A CORRUPÇÃO. 

13 comentários :

  1. 4. O PDR defende a democracia participativa através da intervenção dos cidadãos e das organizações sociais no debate político e no controlo das decisões em todos os níveis do poder político e defende o recurso ao referendo nos termos da Constituição e da lei. Defende também o direito dos cidadãos poderem candidatar-se em listas próprias a todos os órgãos políticos. http://pdr-partidodemocraticorepublicano.pt/declaracao-de-principios/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente, também os que se abstêm de votar, contam. 117 dos 230 deputados, segundo o método de Hondt, são eleitos pelos "abstencionistas", na lógica da distribuição - OBRIGATÓRIA - de todos os que estão registados (mesmo aqueles que já faleceram) nos cadernos eleitorais.

      Eliminar
  2. Não me parece que os pequenos partidos sejam qualitativamente diferentes dos maiores. O que conheço leva-me a supor o contrário.
    A única forma de acabar com a vigarice é ter um poder judicial independente e uma imprensa isenta. Isso não se consegue por magia, por um estalar de dedos.
    Terá que surgir uma personalidade com as qualidades certas, honesto, com a recta intenção (como é apontado a Oliveira Salazar), para capitalizar todas as vontades que existem na sociedade.
    Sem isso, todos os votos se dispersarão e em vez de quatro ou cinco partidos ansiosos por chegar ao OE, teremos uma miríade de aldrabões sequiosos pelo poder e dinheiro a enxamear o espaço mediático, do que apenas resultará confusão e no que não vejo qualquer vantagem.
    É-me indiferente ter 5 ou 50 trafulhas a roubar o Estado. Multiplicar o número de corruptos não vai resolver. O que é preciso é mesmo criar uma nova circunstância onde isso não possa ocorrer e se alguém furar as regras, que seja rapidamente apanhado e severamente punido.
    Não há sistemas perfeitos. Mas, temos que copiar os melhores exemplos.
    A idiossincrasia dos portugueses também não ajuda nada. Não há censura social. Os criminosos são adulados. Veja-se o caso nº 44 :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não encontra um partido perfeito que o motive a sair da cadeira no dia de votar, certamente que existe um partido contra o qual deseja usar o voto para fazer justiça, para o punir, censurar, julgar, educar, travar e eliminar os abusos e abusadores do poder, e só assim ter mão firme nos políticos. O voto contra é como um cartão vermelho que mostras ao infractor se continuas a abdicar de mostrar o cartão vermelho, estás à espera que o jogo corra bem?
      O correcto para não nos paralisar, não é analisar todos os partidos à lupa, pois todos tem defeitos e claro que nenhum satisfaz ninguém a 100%, muito menos pessoas que exigem tudo e mais alguma coisa dos partidos, e até caprichos pessoais ... os partidos devem ser analisados sim mas numa balança, pesar os prós e os contras, os piores e os melhores, e votar no menos corrupto e no que mais se aproxima do que queremos para o país e para a democracia, e assim, eles, por tentativa e erro os políticos perceberão o que o povo quer e o que não quer. Existirá uma comunicação mais justa entre eleitorado e políticos. http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/05/partidos-portugueses-que-propoem.html#ixzz3lYyXcghW

      Eliminar
    2. A politica só é a arte de mentir E DE ROUBAR, quando o povo é inculto e desinformado e portanto apoia corruptos e mentirosos, nos países menos corruptos do mundo , ONDE OS ELEITORES VOTAM E POR ISSO MANDAM MODERAM e escolhem, a politica é a arte de SERVIR O POVO https://www.youtube.com/watch?v=XVJfnZxDj3k&index=2&list=PLPAKyd_5x-2uOLP-PxrYstUmmuLwN9ODZ

      Eliminar
    3. Unica maneira parrar corrupçao e nao votar sempre os mesmos temos mentalidade Portuguesa que e leve no poder ficam sempre os mesmos PSD ou PS PSD ou PS ja basta pais percisa um novo governo ja basta que esses dois fizeram os anos todos andam destruir o pais

      Eliminar
  3. Aprovarem legislação anti corrupção!! O que os candidatos e tudologos passam o tempo a grita é que (a propósito do preso44) é que não existem garantias suficientes e só se podia prender um suspeito, depois de se ter apanhado com notas previamente numeradas, e em quantidade suficientes, para não poder ter sido dada na bomba de gasolina

    ResponderEliminar
  4. Contra o partidarismo que vem corrompendo nações o melhor mesmo é implementação do voto avulso, desde que estes candidatos não fossem financiados por empresas, saiba mais sobre o voto avulso: https://theblackheads.wordpress.com/2014/06/07/voto-avulso-quebraria-paradigmas-na-economia/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é o partidarismo que corrompe as nações, as nações menos corruptas do mundo têm partidos, o que corrompe é a falta de moderação dos eleitores. Nos países menos corruptos do mundo 90% do eleitorado vota, em Portugal só 40% votam válido., A politica só é a arte de mentir E DE ROUBAR, quando o povo é inculto e desinformado e portanto apoia corruptos e mentirosos, nos países menos corruptos do mundo , ONDE OS ELEITORES VOTAM E POR ISSO MANDAM, MODERAM e escolhem, a politica é a arte de SERVIR O POVO
      https://www.youtube.com/watch?v=XVJfnZxDj3k&index=2&list=PLPAKyd_5x-2uOLP-PxrYstUmmuLwN9ODZ

      Eliminar
  5. Não voto em partidos com assento parlamentar

    ResponderEliminar
  6. E também em partidos mentirosos vejam

    https://www.youtube.com/watch?v=tCUtqQhjHVA&feature=share

    ResponderEliminar
  7. Passos deixou de ser investigado em 2007


    http://www.ionline.pt/artigos/portugal/passos-coelho-deixou-poder-ser-investigado-meia-noite-30-abril-2007?google_editors_picks=true

    ResponderEliminar
  8. Falta o PNR na lista dos partidos crediveis!
    .

    ResponderEliminar