14 agosto, 2015

Elisabete Tavares afirma que os partidos, da velha guarda, não servem o país nem a economia

Elisabete Tavares, jornalista no "Expresso" afirma que os partidos não servem o país nem a economia, servem a banca e as sociedades secretas.



Afirma ainda que os partidos pagam a comentadores, para andar na internet a comentar e a desacreditar, aqueles que divulgam verdades/factos que lhe desagradam, ou opinam contra eles.
Garante ainda que não podemos esperar que sejam os partidos a mudar este caos, pois eles gostam e da-lhes geito, temos que ser nós a mudar. A apostar em novos partidos e em pessoas independentes e deixar de apenas criticar, é preciso agir contra os partidos que se apoderaram do país e estão cheios de vícios e clientelas. Votar contra os que nos roubam e os que criticamos.
LISTA DE SAQUES : http://goo.gl/jHVZE
LISTA DE TACHOS : http://goo.gl/f4FcW

"Deve ser à união dos portugueses em geral enquanto cidadãos para assumirem finalmente as suas responsabilidades e perceberem que existem dois países, existe o país que é o nosso, dos portugueses e existe o país dos partidos. Os países vivem fechados neles próprios, no seu próprio país"
"mas eles servem também muitos interesses, desde sociedades secretas ao sector financeiro, depois cada um tem os seus lobbys, enfim"

"Vou dar-te um exemplo, estou aqui sentada agora eu e os meus colegas do expresso e da exame vimos aqui sentamo-nos e damos o nosso comentário, depois de seguida colocamos no nosso site, no site do expresso, o vídeo, depois os partidos, alguns partidos têm comentadores pagos só para ir lá comentar se as nossas
opiniões não lhes forem favoráveis. Portanto, é este o País que queremos? É este tipo de ética que nós queremos? (...) Estas coisas têm que ser ditas. É um bocado aquela ideia estamos à espera que os partidos mudem, os partidos não mudam, e se há uma coisa que ficou provada recentemente é que os partidos não existem para nos servir, nem para servir a economia nem o País, e portanto, união sim, mas eu penso que os portugueses têm que começar alguns também, sei lá, alguns terão que concorrer a eleições também, e alguns já estão a fazê-lo, a concorrer agora às eleições autárquicas, há vários portugueses como independentes a concorrer (...) já não basta só criticar"

"O que tem que existir é uma mudança de mentalidade profunda na forma como é pensado o país, como é gerido e governado. Não para para gerir interesses, nem lobbys nem o setor financeiro, nem interesses obscuros, nem andar ao sabor dos partidos e das eleições "



12 comentários :

  1. Ah, pois servem...

    E o Alberto João Jardim - que, repetidamente, era ridicularizado pelos média controlados por tais sociedades - bem sabia do que estava a falar, quando mencionava a "Maçonaria" e o Clube "Bilderberg"...

    Aproveitem a Internet, enquanto podem, para se informar sobre as mesmas. Pois, tais sociedades irão acabar com a última (tal como a conhecemos) dentro de não muitos anos - por ser exactamente o sítio onde têm sido as mesmas muito denunciadas. (Mas, tenham obviamente muito cuidado com a *enorme* quantidade de desinformação que existe - e que é colocada para enganar e confundir as pessoas.)

    Apenas algumas introduções ao melhor investigador que conheço de tais sociedades secretas:

    http://6.fotos.web.sapo.io/i/o41140ea4/17596647_i1zW0.jpeg
    http://blackfernando.mypressonline.com/semanario_entrevista.html
    https://twitter.com/EstulinDaniel
    http://forum.prisonplanet.com/index.php?topic=43444.0
    (aparição do mesmo em tal documentário) http://blackfernando.blogs.sapo.pt/thats-aa-francisco-pinto-balsemao-1076

    E, apenas alguns exemplos, de importantes denúncias que, (humildemente) por mim, têm sido feitas neste meio:

    (comentários à colocação) http://darussia.blogspot.pt/2012/04/chornobyl-cmo-urss-lutou-contra.html)
    http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=24&t=10579
    http://blackfernando.blogs.sapo.pt/breve-colocacao-que-fiz-no-sitio-na-72266
    http://blackfernando.blogs.sapo.pt/quem-de-tudo-isto-ja-sabe-62368
    http://blackfernando.blogs.sapo.pt/os-melhores-livros-sobre-a-maconaria-e-78551

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. como é óbvio os países dominados por essas seitas são os países que escolhem corruptos, isso SÓ ACONTECE EM PAÍSES CORRUPTOS PORQUE ELEGEM CORRUPTOS, OS PAÍSES MENOS CORRUPTOS DO MUNDO NÃO DEIXAM OS QUE ESTÃO ATRÁS DAS CORTINAS MANDAR NELES PORQUE NESSES PAÍSES AS PESSOAS VOTAM CONTRA OS QUE OBEDECEM AOS QUE ESTÃO ATRÁS DAS CORTINAS. Em países de gente que acredita em tudo e tudo inventa para não votar contra os corruptos, ACABAMOS COM o país à mercê de quem quiser subornar os corruptos do governo e a culpa é das pessoas que não votam contra a corrupção . E contra os que se vendem e já se venderam há anos

      Eliminar
    2. É bem verdade, Zita.

      Na Islândia também tentaram fazer o povo pagar pelos prejuízos da banca privada e as pessoas, não só não deixaram os políticos fazer isso, como os meteram em tribunal - e ainda avançaram com um novo grupo político, que melhor servisse os seus interesses.

      Se tivéssemos uma população bem formada, não andava a mesma a votar em corruptos. E, se neles anda tal população a votar, é porque pouco diferente deverá ela ser desses mesmos corruptos. (E só assim, aliás, é que se compreende que haja quem, mesmo depois de condenado pela Justiça, continue a ter quem o eleja e apoie...)

      É o típico "Zé Povinho" português, adepto das "cunhas" e afins (pequena corrupção) - e que só olha para o seu próprio umbigo.

      Trata-se, acima de tudo, de uma problema cultural.

      Quem vota nos partidos do sistema, é quem, por exemplo, não põe os pés em manifestações anti-guerra, porque não são eles a levar com as bombas em cima, e quem não quer saber de lutar pelo pleno emprego na sociedade, porque ainda não calhou a vez deles de irem também parar ao olho da rua.

      Com gente desta, não é de esperar nunca que as coisas evoluam. E, a única esperança que talvez possa haver, está em novas gerações, já com outro tipo de mentalidades...

      Eliminar
    3. TENS SEMPRE A OPÇÃO DE COMEÇARMOS A VOTAR CONTRA OS PARTIDOS QUE CRIARAM ESTE SISTEMA E ESTE REGIME CORRUPTO, COMO QUALQUER PAÍS DEMOCRÁTICO É PELO VOTO QUE SE DIZ O QUE NÃO SE QUER E O QUE SE QUER, MAS EM PORTUGAL AINDA VIVEMOS NA IDADE MÉDIA E ACHAM QUE SÓ SE RESOLVE ESTE PROBLEMA COM SANGUE PORRADA E DESTRUIÇAO. Nos países democráticos e menos corruptos do mundo as pessoas votam, 90% vota, em Portugal apenas 40% vota, o resto abstem-se ou vota nulo e branco e depois querem que os corruptos sejam banidos do poder? Eles que são eleitos com os poucos votos dos maçons, dos boys, dos corruptos, da familia e dos amigos e é o suficiente para ganharem aos tristes ignorantes que não sabem usar o voto nem a democracia

      Eliminar
  2. E, sobre os tais agentes do sistema que andam na Internet a tentar confundir as pessoas, o nome (genérico) dado aos mesmos é "trolls".

    E, se quiserem provas de que eles existem (eu, há já 15 anos(!) que ando a aturar com este tipo de personagens - e, por isso, posso-vos garantir que eles, de facto, existem) e saber quais os seus métodos de operação, têm a seguinte colocação por mim feita:

    http://blackfernando.blogspot.pt/2014/09/o-que-e-um-troll.html

    (Com as dicas que deixo nesse artigo, já deverão começar a topá-los...)

    ResponderEliminar
  3. A livre expressão tem essa coisa terrível, de que os outros podem dizer o contrário do que nós achamos e não podemos impedir. Como se calcula. na internet, escrevem todos os tipo de gente (recomendável como eu) e tolos e malvados (eles); sendo assim cabe a cada um, por si ler e intuir, com o que concorda e discorda; nada melhor que comparar os dados e não fazer o que é muito negativo :este é da rua direita é parvo; este é da rua esquerda fala muito bem; para quem é, bacalhau basta, define bem o erro em que nos podemos meter se formos primários . E claro no estrangeiro mais e cá já a subir, os partidos, candidatos..vão usar a web para defenderem os seus trunfo ou no mínimo tornar as barracadas dos cartazes e galambices mais ridiculas ainda.Aqui no post está um frase que deve fazer meditar e tocar as campainhas de cada um =trinta anos a dizer mal e no dia das eleições têm assuntos mais importante do que votar!! eu também sinto que as propostas de muitos são contos de crianças, mas nem que seja no gato ou no cão terei que ajudar acorrer com os que nos enganaram.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para quem não viveu com o escudo, recomendo livros de historia e estatisticas antigas(eramos o país mais pobre e atrasado da europa(de onde nunca saimos, nem sairemos claro). para os que sonham com uma saida gloriosa e e vitoriosa do euro, recomendo que imaginem os governantes tipo socrates a não terem que dar cavaco a ninguém das "boas" governações, nem dos gastos que façam. Como presumo que todos sabem que o dinheiro não cai das arvores, como se resolve os pagamentos do que é necessãrio? como os gregos fizeram, fechando os bancos e provocando um caos sem precedentes, que como grandes estadistas estão a espera que a merkl e cª resolvam? sim que para alem da fantasia não foram capazes por eles de o resolver

      Eliminar
    2. António Cristóvão,

      Uma boa parte da dívida é ilegítima e fictícia. Pois, aos banqueiros é dado, pelos seus governos-fantoche, o "direito" de criarem dinheiro a partir do nada. E, como tal, não deveria haver obrigação moral nenhuma de pagar de "volta" esse dinheiro que, como digo, foi criado a partir do nada - pois, é dinheiro que os banqueiros não tinham e que apenas criaram no acto do empréstimo.

      Este é um facto que ainda é muito pouco sabido pela população, em geral. (Pois, os nossos governos e média de massas são controlados pelos grandes interesses económicos - nos quais se inclui, obviamente, a banca internacional, que não tem interesse em que as pessoas saibam disto.)

      Não é por acaso que os bancos têm, por norma, lucros astronómicos e que quem para eles trabalha tem todo o tipo de privilégios... (Pudera! Com a quantidade de dinheiro que estão indirectamente a roubar às pessoas!...)

      Já se questionou alguma vez de onde vem a "inflação"?... Vem da constante criação de dinheiro. Ora, quem cria esse mesmo dinheiro?

      Veja documentários como o "Money as Debt" e o "The Money Masters", que já podem ser encontrados com legendas na Internet.

      [continua]

      Eliminar
    3. [continuação]

      Sobre o "antigamente",

      Portugal nunca se desenvolveu significativamente no tempo do Salazar, porque tínhamos um capitalismo de economia planeada (i.e. fascismo) que eliminava a concorrência, em vez de um capitalismo de mercado livre, como tinham os países desenvolvidos. E, se continuarmos a alinhar com este megaprojecto europeu, o resultado final será voltarmos a esse mesmo modelo de economia planeada, em que são os grandes interesses económicos (conjuntamente, nos bastidores) a ditar o rumo da sociedade.

      E, se duvida disto, procure saber o que é feito de alguns dos nazis e afins, que perderam a Segunda Grande Guerra. E, que planos elaboraram eles, após a sua derrota... (Duas dicas: http://paramimtantofaz.blogspot.pt/2010/06/quem-sera.html, https://en.wikipedia.org/wiki/National_Party_of_Europe)

      A União Europeia é uma criação dos grandes interesses económicos ocidentais, através dos seus políticos-fantoche maçons e afins. E, o nome dado a tais interesses económicos internacionais, que se escondem na sombra, é "Sinarquistas".

      O seu objectivo final, é uma sociedade neofeudalista, em que os governos nacionais (propositadamente falidos pelos seus políticos-fantoche) tenham sido abolidos e em que sejam as multinacionais quem governa o mundo. E, quaisquer semelhanças entre "sinarquismo" e "fascismo", não são pura coincidência. Pois, tal como explico eu aqui - http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=21&t=9302&start=315#p229697 - o fascismo foi apenas um subproduto e uma amostra do que estará para vir, caso as pessoas continuem a alinhar com este megaprojecto europeu.

      O objectivo de tais interesses económicos é também fazer toda a gente voltar a uma situação de pobreza (tal como já está a acontecer), para que sejam as populações europeias (e mundiais) pobres e ignorantes - e, consequentemente, mais fáceis de controlar. (http://blackfernando.blogs.sapo.pt/a-historia-do-aquecimento-global-e-mais-70043)

      E, se quiser saber mais sobre tudo isto, leia o que o autor e investigador Daniel Estulin e também o Movimento LaRouche têm a dizer.

      Se algum país da UE sair desta união, é certo que os interesses por trás da mesma tudo irão fazer para tentar destruir tal país e fazer dele um exemplo do que acontece a quem é desobediente. Mas, é simplesmente deixarmos-nos escravizar uma melhor alternativa a isso?

      Eliminar
  4. @Antonio Cristovao

    O facto de sermos um País pobre no tempo do escudo, não significa no entanto que tivéssemos de dar a nossa soberania aos Oligarcas de Bruxelas para sairmos da pobreza. Aliás, sempre fomos um País muito rico, a prova está no facto de termos financiado três guerras coloniais ao mesmo tempo. Não é para todos tal proeza tendo em conta o pequeno País que somos. Outrora também éramos pequenos, no entanto dominámos o Mundo. Se a maioria da população era pobre, isso era porque o sistema queria que fosse assim, pois como sempre, a riqueza estava concentrada num punhado de Oligarcas que comandavam as empresas nacionais. Existe um excelente documentário sobre o sujeito «Os Donos de Portugal» visível gratuitamente na net que demonstra o que digo. No entanto a verdadeiro dizer, riqueza á Nação não faltava.

    E se os Sócrates e companhia estivessem no tempo do escudo, fora da UE, de certeza que não se dariam a proezas de ladrõezecos como as que já fizeram. E mesmo que os Sócrates de agora tenham sido apanhados, descansa que outros já tomaram o lugar dele para porem a mão na massa. É dinheiro fácil, é divida que se contrai nos mercados financeiros, dinheiro sem esforço nenhum, o que resulta também na extrema facilidade a pôr a mão na massa.

    Mas porque é que nossos bancos entraram em colapso ? Porque não temos soberania sobre o nosso sistema bancário. Estamos confinados ás leis de Bruxelas que não têm regulamento algum que possa impedir as jogadas de casino na Bolsa. Outrora éramos senhores da nossa moeda, era fabricada pelo nosso Banco de Portugal consoante as necessidades da nossa Economia. Isso trazia enormes benefícios á Nação, pois não éramos obrigados a ir aos mercados financeiros pedir empréstimos para em seguida pagar juros altíssimos sujeitos ás variações de mercado. Juros esses que aumentam a nossa divida cada vez mais, cada vez mais... Razão pela qual estamos afogados desde que entrámos para a UE e Euro, em dividas atrás de dividas e nossos rebentos serão escravos dessa divida que deixámos como herança. Tudo isto graças á religião do Euro e suas doutrinas, a qual devemos-nos ajoelhar dia após dia e benzer-nos com o odor maravilhosos da divida, da escravidão. Tal e qual como pobres ovelhas que vão direitinhas ao matadouro sem se darem conta, assim agem os adoradores do deus Euro.

    ResponderEliminar
  5. @Fernando Negro

    A inflação, digamos não põe nenhum problema de grande alarido a nível económico, o problema está quando passamos á hiper-inflação. Que foi o caso por exemplo da Alemanha nos anos 20. Não é por acaso que o trabalho da BCE é controlar a inflação. Pode parecer estranho ser essa a tarefa do BCE, mas porque razão ? Simplesmente porque a relação emprego-inflação é nitidamente interligada. Quanto mais aumenta a taxa de inflação, menos desemprego existe. Inversamente, quanto mais baixa será essa taxa, mais desemprego haverá. É a razão pela qual o BCE tem como principal tarefa regular a taxa de inflação. Isto porque o desemprego é uma arma do capitalismo que permite baixar salários e ter acesso a mão de obra mais barata. Estes são factos constatados e verificados por economistas, mesmo se apesar de tudo, até agora nenhum consegui dar uma explicação plausível para este fenómeno de de balança entre inflação e desemprego.

    A possibilidade de se criar dinheiro ex-nihilo, foi graças aos acordos de Bretton Woods. Se bem que mesmo antes, já se criava. Mas não se exagerava tanto, como hoje.

    Foi essa possibilidade que a UE nos roubou, a nós como Nação, porque agora demos a possibilidade a bancos privados de criarem moeda, que em seguida vamos pedir e pagar juros altíssimos. Antes a Nação pedia ao Banco de Portugal, sem juros ou a juros mínimos.

    ResponderEliminar
  6. @Fernando Negro

    Quanto ao que se chama de "fascismo" no que concerne por exemplo Salazar e Franco, eu aconselharia ler o livro de William Guy Carr, Pawns in The Game...porque os bastidores contam-nos uma outra história, muito diferente do que a história manipulada nos ensina nas escolas.

    ResponderEliminar