05 dezembro, 2014

Qualquer pessoa sabia não haver justificação para a vida de luxo de Sócrates em Paris. Menos ele...


Por JOÃO MIGUEL TAVARES
Durante muitos anos, eu fiz parte do grupo dos “obcecados”.
De cada vez que falava em José Sócrates num texto – e falei muitas vezes –, as pessoas suspiravam, os leitores criticavam, os amigos gozavam, os colegas bocejavam.
Diziam: lá vem ele outra vez, mas porquê esta obsessão?, Sócrates já nem sequer está no governo, este tipo nunca lhe perdoou tê-lo processado, a fulanização em política é uma forma de populismo.
E durante muitos anos, eu tentei explicar pacientemente, persistentemente, teimosamente, que José Sócrates era diferente, que era único, que não se podia comparar a ninguém, que ele era a pior coisa que nos tinha acontecido desde o PREC. Porque se é certo que o ex-primeiro-ministro teve muitos opositores, boa parte deles, de Daniel Oliveira a Pacheco Pereira, sempre se recusaram a ver em Sócrates o que não se via em nenhum outro – por muitas falhas que lhe fossem apontadas, ele era tratado como mais um, os problemas eram menos dele do que do “sistema”, os seus erros e as suas mentiras, diziam os grandes intelectuais anti-fulanização, eram partilhados por muitos mais.

Com o correr do tempo, os “obcecados” foram diminuindo. Após o fim da era socrática, as televisões afastaram-se, os jornais respeitáveis viraram costas, e os colunistas sérios puseram ar de enjoado. Restou o Correio da Manhã, o Sol, em parte a Sábado, recorrentemente acusados de obsessão persecutória, quando qualquer pessoa que soubesse fazer contas de somar sabia não haver qualquer justificação possível para a vida que José Sócrates levava em Paris.
Mas parece que neste respeitoso Portugal insistir em fazer perguntas óbvias passa por má educação. Perguntava-se uma vez e Sócrates não respondia. Perguntava-se duas vezes e Sócrates não respondia. E quando se perguntava a terceira vez já se estava a criticar o jornal por insistir na pergunta em vez de se criticar Sócrates por recusar a resposta.

Nem agora, após José Sócrates ter sido detido para interrogatório, essa sede de generalização parece saciada. Ele é preso e avançam de imediato as profecias apocalípticas: é o fim do regime que se aproxima; é a política, como um todo, que é atingida.
Não, senhores, não. O regime tem imensas falhas e a política infindáveis problemas, mas Passos Coelho tem toda a razão quando afirma que nem toda a gente é igual. E José Sócrates, graças a Deus, não é igual a ninguém. Ele é o special one da indistinção entre verdade e mentira, pela simples razão de que nunca viu diferença entre uma e outra. A sua detenção não é o fim do regime. Pelo contrário: foi durante o seu consulado que o regime esteve quase morto. O que está agora a acontecer é o oposto disso: é o regime a funcionar outra vez.

E a funcionar apesar de todas aqueles que, confundindo mais uma vez as prioridades, estão muito preocupados com a detenção de Sócrates ao sair de um avião ou por a SIC ter filmado um carro a ir-se embora do aeroporto.
Ai, meu Deus, que os jornalistas foram informados!
Eu, de facto, preferia que os jornalistas não tivessem sido informados. Mas preferia muito mais que José Sócrates não tivesse sido – e a verdade é que ele foi escandalosamente informado e protegido pela justiça durante anos a fio.
Num país onde quase não há busca sensível que seja feita sem que os visados estejam prevenidos, eu diria que há fugas de informação bem mais perniciosas do que aquelas que beneficiam a comunicação social. Andaram dez anos a fazer-nos passar por parvos. Se calhar já chega. JOÃO MIGUEL TAVARES

Como todos já devem ter reparado, em Portugal existe a cultura de seita em relação aos partidos, as pessoas defendem o seu partido cegamente mesmo quando este, governa mal ou lesa o país de forma consciente. 
Não se realiza uma análise isenta, critica e justa do desempenho dos partidos e do que eles fazem pelo país ou contra o país, as pessoas defendem-nos cegamente há 40 anos como se fosse o seu clube de futebol ou o seu bairro, mesmo quando jogam baixo ou lesam o interesse nacional. Os resultados arrasadores estão bem à vista, mas pior cego é aquele que não quer ver.
Uma cegueira dolorosamente cara para os portugueses e para o país, porque os partidos perceberam que podem abusar até onde quiserem pois podem contar com os seus fanáticos defensores, que jamais os condenam. Até os apoiam!!!
Portanto ao longo dos anos os partidos sentiram-se seguros para abusar cada vez mais, para aperfeiçoar as técnicas, criar as leis que protegem. Após testarem a mansidão, a paciência e a tolerância dos portugueses atingiu-se o auge da corrupção entre 2000 a 2010 Portugal, foi o país do mundo, que mais agravou a corrupção e desceu 10 lugares no rank (TI) internacional dos corruptos.
Os portugueses preferem defender ferozmente um corrupto que compra um novo mercedes de 200 mil euros, do que defender os interesses da própria família, muitas vezes em dificuldades.
Os políticos perceberam que não há limites, a justiça foi capturada e os eleitores adoram-nos, são intocáveis e é nesta impunidade que se promove e incentiva a corrupção. 
Se os portugueses trocassem a lealdade cega pelo bem dos partidos por uma salutar lealdade ao bem comum, ao país e aos seus concidadãos, puniriam os oportunistas inimigos do bem nacional, que são os partidos. E assim finalmente os partidos perceberiam que tinham que ser amigos do povo e do país, para poderem governar e ter o privilégio de gerir os milhões dos nossos impostos. Porque se os portugueses desempenhassem a sua função e obrigação, e fossem os leais defensores da pátria, não permitiram os actuais abusos e nem defenderiam mais os inimigos da pátria.

Videos que marcam a actuação de Sócrates como pessoa e como politico


Sócrates mente a Portugal inteiro, para avançar barragens ruinosas?


Sócrates vende hospitais e património nacional, para esconder défice. Engenheiro financeiro.

29 comentários :

  1. Pena é essa dedicação desses órgãos de informação esteja mal distribuída. Porque Portas com os submarinos, Cavaco com o BPN, Passos Coelho com a Tecnoforma (e outras), desgraçam o nosso País todos os dias e mais grave é que exercem os mais altos cargos do poder. Que pena que ninguém se dedique a investiga-los tal como fizeram a Sócrates. Melhor do que um ex-primeiro ministro preso era o actual Presidente da Republica, o Primeiro Ministro e o Vice irem todos dentro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não veja as coisas assim de forma limitada, basta pesquisar em qualquer motor de busca que encontra artigos aos milhares sobre esses casos que refere. Além do mais já vários do BPN estiveram na prisão, tal como socrates e aguardam julgamento cá fora, tal como deve acontecer com socrates. Sabe que a cegueira faz muito mal ao país, como explico no final do artigo.
      E já agora viu os videos? Querer comparar o caso tecnoforma com o que socrates fez? Só pode ser anedota. Primeiro o caso tecnoforma não foi por politicos mas por empresários privados, sabe ver a diferença espero que sim. Os crimes de abuso contra o país feito pelos que deveriam defender o país são muitos mais graves que os crimes privados. Mas infelizmente as pessoas nem isso conseguem distinguir.
      Depois a tecnoforma foram alguns milhares de euros, o socrates foram milhares de milhões de euros.
      As PPP vão custar ao país 50 mil milhões de euros, as swap custaram cerca de 3 mil milhões, as barragens vão custar 16 mil milhões e ficam para a edp, as rendas da edp vão-nos custar 4 mil milhões, a parque escolar, o magalhães, a venda de hospitais à socapa, o esbajamento do estado social, etc etc informe-se e não misture crimes de politicos com crimes de privados.

      Todos são corruptos, mas uns são mais que os outros, quanto ás investigações tanto a justiça como os jornais estão sempre em cima de todos os casos que referiu, basta fazer uma análise isenta e verá isso.

      Eliminar
    2. AS PPP foram a maioria delas negociadas pelo governo de Durão Barroso e Santana Lopes. Tão prejudiciais que são para o país que este Governo atual nada fez para rever os contratos, aliás ainda pagou cerca de 600 milhões em custos que nem sequer estavam contratualizados. Quanto à EDP foi privatizada com a chegada da Troika, negociada por este Governo, com o porta voz Eduardo Catroga, que foi a seguir receber 500 mil euros anuais como administrador não executivo. Se quiser ver as questões uma a uma verá que a corrupção desses casos que refere é generalizada a todo o arco político. E o que se tem feito constantemente é culpabilizar Sócrates como único protagonista de tudo. Esquecem-se que na nacionalização do BPN toda a esquerda votou a favor na Assembleia da Republica. No estado social todos votaram a favor, não foi só Sócrates. O corte nas pensões vitalícias, nas reformas, nos salários da função publica, na proibição de acumulação de cargos públicos com pensões, foi tudo ideia do Sócrates. Sinceramente, lamento mas a limitação de alcance está do seu lado. O trabalho de compilação de notícias sobre a corrupção que você faz é absolutamente nobre, mas as opiniões obviamente tendenciosas que exprime neste blog acabam por manchar a imparcialidade.

      Eliminar
    3. As PPP são a marca de honra do socrates, e caso não saiba foi ele que fez os contratos de forma a não poderem ser renegociados, e fez contratos que só se agravavam em 2014 e 2015, quando ele já não estaria no governo. Chama-se empenhar os futuros. E enganar totos. Basta pesquisar e informar-se

      Quanto a quem fez o quê, deixo-lhe este artigo com as tabelas das PPP
      http://apodrecetuga.blogspot.pt/2014/06/as-120-ppps-o-sorvedouro-de-impostos.html#.VIHqzTGsVws


      Eu sei que a corrupção é generalizada, mas socrates foi o top 1 deles todos, não sei porque insiste em vitimizar o socras, não vejo ninguém aqui a dizer que ele é o único.
      No quadro de uma investigação de Bruxelas, o Governo denuncia que, em 2007, o Governo de José Sócrates violou a legislação comunitária por ter alargado por 26 anos, sem concurso público, o prazo de concessão à EDP de duas dezenas de barragens. A Endesa, maior barragista em Espanha, critica ter sido excluída dessa negociação.
      A EDP pagou ao Estado 759 milhões de euros pelo alargamento da concessão, um preço que os ministros Manuel Pinho e Nunes Correia fundamentaram em avaliações da Caixa Banco de Investimento e do Crédit Suisse. Mas, segundo o atual Governo, que cita informação produzida na mesma altura pela REN, estima que o Estado podia ter encaixado mais 581 milhões de euros.

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2013/05/governo-socrates-investigado-por.html#ixzz3L2tW4Z4K

      Eliminar
    4. e mais uma vez pergunto-lhe viu os videos?É que desconfio que não viu nem quer ver, porque sabe está lá bem à vista a vergonhosa politica de socrates, se vir os videos depois diga-me quem é que é tendecioso,
      Até o Henrique Neto ex PS diz que o socrates foi do pior que podia acontecer o PS e que era um servo da maçonaria

      Eliminar
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    6. E positivo que se desmascare os roubos à população feitos pelos governos PS, mas é indigno virem desvalorizar os roubos à população dos governos PSD/CDS. O país está de rastos, as pessoas foram espoliadas de salários e pensões para resgatar especuladores financeiros/banqueiros e para pagar uma dívida que não é sua. O que se está a ver é este blog a passar a ideia que o caso tecnoforma são trocos, quando nem se sabe que valores estão em causa e está tudo por investiga. Pior do que isso é este blog já mais do que uma vez alinhar no ataque aos trabalhadores do setor público e defender as políticas dos cortes e austeridade. É uma vergonha serem cúmplices da estratégia governamental de dividir os trabalhadores uns contra os outros para conseguirem roubar e explorar todos os trabalhadores em favor dos seus amigos. Os trabalhadores do setor público não são os culpados da crise e é nojenta e mentirosa a campanha do governo contra os trabalhadores que estão ao serviço de todos. Nem são demasiados, nem ganham demasiado, nem são privilegiados. São mentirosos os que dizem o contrário e estão claramente ao serviço do Governo, como é o caso do Medina Carreiras, um papa reformas públicas que se move pelo ódio a tudo o que é público.

      Eliminar
    7. este é o tipico tuga que não sabe analisar e então inventa toda uma realidade como lhe apetece e convém. Primeiro qualquer pessoa que olhe para a coluna ao lado direito com as listas de crimes, percebe como o sr não consegue ver nem um cm para os lados, tal é o tamanho das palas que o cegam, estão por todo o blog e por todo o canal do youtube do blog, casos de corrupção do psd, ps, cds, e todos os outros que os tenham... por isso deixe de mentir e aprenda a viver em democracia, só um povo capaz de analisar a verdade poderá ajudar a termos um país justo e democrático. Qualquer pessoa normal também percebe a diferença entre um crime privado e um crime público... mas o sr se não sabe a diferença informe-se.

      Dizer que um crime público e de detentores de cargos públicos é muito mais grave para o país não é estar a dizer que os crimes em empresas privadas não são crimes, percebe?
      Quanto ao estarmos a pagar resgates de bancos pois mais uma vez lhe lembro que o saque feito ao BPN pode ter sido feito pelo gang do psd, mas devo recordar-lhe , que sei que é esquecido que quem colocou o povo a pagar esse saque foi o socrates, ao nacionalizar o banco e obrigar os portugueses a ficar com ele.

      Vergonha é o sr distorcer a verdade de forma tacanha e triste vir para aqui com a conversa tendenciosa e mentirosa de que defener a igualdade entre os trabalhadores é atacar a função pública, qualquer pessoa percebe que defender a igualdade não é atacar ninguém é defender todos... mas a seita da FP têm sempre essa conversa mesquinha porque quando despedem milhares de trabalhadores no privado nunca se lembram de defender a igualdade de direitos, só se lembram quando toca aos da FP... temos pena, aqui defende-se a igualdade, para o bem e para o mal... por isso não venha com a mania da perseguição tipica dos ignorantes.

      quem coloca os trabalhadores uns contra os outros são as desigualdades e as injustiças, não é o blog, são pessoas como o sr que acham que as desigualdades são para manter.
      Nunca neste blog se disse que os FP são os culpados da crise, por isso pode ir inventar essas teorias para outro lado, que aqui não pegam, é a estratégia dos manipuladores tristes e frustrados, fingem que alguém diz uma coisa e depois atacam como se tivesse dito mesmo essa coisa... faça um favor a si e ao país, não invente.

      E já agora que apresenta tantos dados, inventados por si, de que os FP não ganham demasiado, nem são privilegiados em relação aos do sector privado e que o Medina é mentiroso, agradecia que fornecesse as fontes desses dados, e os gráficos e os valores que comprovam tudo isso, é que o Medina e as pessoas racionais, quando falam de numeros, apresentam fontes e não nomes feios.

      Eliminar
  2. Bom, ia responder ao primeiro comentário, mas a Zita já o fez muito bem.
    Belíssimo post. Os governos Sócrates foram devastadores, compará-los com ninharias é ridículo, sendo verdade que o pano de fundo da política em Portugal é a corrupção generalizada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. as ninharias do BPN, submarinos, PPS, privatizações ruinosas da EDP, REN, e SWAPS da nossa ministra das finanças são a ruína do nosso País. Abram as palas....

      Eliminar
    2. Meu caro o que o sr de cima estava a referir era a ninharia da tecnoforma e não essas que refere, porque como sabe o sr comparou a tecnoforma com crimes dantescos de verdadeira traição à pátria. E é a essa ninharia que ele se refere.
      Quanto aos outros crimes que refere creio que sabe que todos eles tem lá a maozinha do ps? Sabe disso não sabe?
      As swaps foram no tempo do socrates, e a ministra das finanças as que fez foi quando trabalhou para o socrates, as PPP é o que lhe disse em cima, o BPN temos sempre que agradecer ao socrates ter oferecido o saque aos portugueses para pagarem, na EDP também já lhe mostrei em cima como o socrates tratou a edp... quanto à REN ainda não tenho nada do Sócrates mas uma pesquisa rápida no google deve ser suficiente para encontrar. Não se iludam, gostava de ver os portugueses a defender o país em vez de corruptos.

      Eliminar
    3. ao longo dos anos os partidos sentiram-se seguros para abusar cada vez mais, para aperfeiçoar as técnicas, criar as leis que protegem. Após testarem a mansidão, a paciência e a tolerância dos portugueses atingiu-se o auge da corrupção entre 2000 a 2010 Portugal, foi o país do mundo, que mais agravou a corrupção e desceu 10 lugares no rank (TI) internacional dos corruptos.
      Os portugueses preferem defender ferozmente um corrupto que compra um novo mercedes de 200 mil euros, do que defender os interesses da própria família, muitas vezes em dificuldades.
      Os políticos perceberam que não há limites, a justiça foi capturada e os eleitores adoram-nos, são intocáveis e é nesta impunidade que se promove e incentiva a corrupção.
      Se os portugueses trocassem a lealdade cega pelo bem dos partidos por uma salutar lealdade ao bem comum, ao país e aos seus concidadãos, puniriam os oportunistas inimigos do bem nacional, que são os partidos.

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2014/12/qualquer-pessoa-sabia-nao-haver.html#ixzz3L2vxUnRu

      Eliminar
    4. Li até aqui tudo com muita atenção e posso constatar que realmente não vejo nenhuma tendência persecutória contra Sócrates, se não vejamos, antes de Sócrates tudo funcionava bem neste cantinho da europa, basta ver os vários relatórios sobre corrupção e o nome de Portugal nem aprecia, o nosso nível de vida era do melhor que existia na Europa e arredores, o Parlamento era o exemplo de democracia e representatividade popular, ou seja tudo funcionava na perfeição e Portugal era dos países com melhor nível de vida no mundo, até que aparece Sócrates e tudo muda, para pior claro o homem deu cabo do disto tudo, a nossa sorte foi a sua saída do governo e a entrada do actual 1º Ministro, tudo voltou a normalidade, principalmente a justiça e deixo aqui um exemplo com uma comparação curiosa do que somos enquanto sociedade.
      - No caso Sócrates o que sabemos é pouco ou nada, e tudo culpa da nossa “justiça”, pois tudo foi feito de forma errada com elevados custos para todos, o que deveria ser feito num caso destes era a justiça investigar, recolher as provas e com base em provas solidas deduzir a acusação, depois sim efetuar a detenção e informar a comunidade de que tinha detido um Ex.1º Ministro, quais as acusações e sustentadas em que provas, este comportamento teria evitado toda a especulação a que temos assistido, e teria evitado que tivessem de ser montados todos os dispositivos de segurança que vimos e que representação custos elevados para o erário publico.
      - Num caso de atropelamento ocorrido no Funchal, um indevido conduzia uma viatura sem estar habilitado, com uma taxa de 1,93g/l (taxa que só por si e a luz da lei é crime), atropela um peão, sendo o impacto tal que o jovem com 21 anos e projectado para dentro da ribeira tendo morte imediata. O condutor presente ao juiz sai em liberdade com a obrigatoriedade de apresentação semanal numa esquadra da PSP. Pelo que a “justiça” lhe dá mais uma oportunidade de repetir a façanha.
      A “justiça” neste pais priva um cidadão da sua liberdade por suspeitas de corrupção, ao mesmo tempo que permite a um outro cidadão que comete homicídio sair em liberdade, pois nestes casos a nossa “justiça” não vê onde esta o perigo de recendência?
      Concluindo continuamos a olhar para o topo da piramide, quando o prolema de fundo esta na base, sem boas fundações nunca teremos edificios rubustos.

      Eliminar
    5. A sua constatação irónica não resulta, porque como deve calcular e se tiver lucidez para isso, percebe que qualquer um consegue fazer o mesmo exercício que o sr fez em defesa do socrates, para defender qualquer outro corrupto.
      Basta trocar o nome de socrates por o de dias loureiro, ou oliveira e costa, ou paulo portas... sabe que, felizmente, ainda há pessoas lúcidas e atentas que não caem neste seu joguinho.
      Pior que o gajo que mata um a conduzir bebado são os corruptos que matam milhões à fome, empurrados para suicidios, sem medicação , sem hospitais por perto, sem centros de saude, sem ambulancias... isso sim é que o deveria preocupar, preocupar que a justiça seja tão mole com quem trai o país e o povo e ande a perseguir pessoas que roubam uma lata de feijão...
      Neste blog defendem-se as vitimas e não os criminosos, por isso não tente trocar o papel dos personagens.

      Eliminar
    6. Começo por informa-la que sou um leitor atento do seu blog, pelo simples facto de que tal como a Zita tenho a certeza que a corrupção e o tráfico de influências são o maior flagelo do país e que todos aqueles que sejam “apanhados” DEVERIAM SER EXEMPELARMENTE CASTIGADOS. Dito isto e relativamente ao caso Sócrates deixe-me dar-lhe dois conselhos, antes de disparar sem sentido e falta de lucidez ao meu comentário,
      1º Deveria ouvir o Dr. Marinho e Pinto (que tem garantidamente o meu voto nas próximas eleições) relativamente ao caso Sócrates, aproveito para fazer das suas (dele) as milhas palavras. (Se não viu aconselho-a a ver)
      2º Seja imparcial como escreve e se intitula, pois se o for sabe que a maus políticos, maus magistrados, maus juízes, maus polícias, maus jornalistas ………, se levar isto em consideração, vai ver que não diz tantos disparates, pois o “gajo” não lhe matou nenhum filho “se é que o tem”, mas os país do “um” chama-lhe ASSASINO, tal qual a lei, que classifica este feito como crime. Logo a luz da lei deveria estar preso, assim como defende no caso Sócrates que tal como eu a Zita não conhece a acusação, mas que na sua opinião esta muito bem preso, já o “gajo” que mata “um” até nem é assim tão mau, pois para si vitimas de crime são aqueles que são atingidos de forma indirecta, pelo que posso entender do seu comentário, se assim não fosse não tinha desvalorizado a perda de uma vida, seja em que circunstâncias esta possa ocorrer.
      Ou seja no fundo o que eu pretendia demostrar no meu primeiro comentário ao comparar a prisão de um cidadão, seja Sócrates ou qualquer outro por corrupção, e deixar um outro cidadão livre, depois de tirar a vida a um outro cidadão, demostra a (in) justiça que temos, e eu tenho por “teoria” que os principais culpados da bandalheira a que este pais chegou se deve exencialmente a dois dos principais pilares, de qualquer democracia, ao poder politico e ao poder judicial, isto claro sem deixar de lado o POVO, que é no fundo o principal responsável por permitir que tudo isto se passe continuando a votar sempre nos mesmos. PSD – CDS – PS – PCP e BE.
      Já quanto ao principal responsável, ao contrário da Zita, não tenho a menor duvida chama-se Cavaco Silva – “O Cangalheiro” - O político que não é político mas que anda a ser pago por todos nós a mais de 20 anos.

      Eliminar

    7. Eu ouço o Marinho o sr é que não deve ler o meu blog ou ouvir bem o Marinho o que ele diz sobre o caso socrates é praticamente zero, ele é contra a prisão preventiva, e não contra a prisão preventiva de sócrates, ele é muito imparcial nessas coisas e está se borrifando para o socrates, ao contrário do que muitos que não percebem portugues, querem fazer crer https://www.youtube.com/watch?v=xMUN26QykTw&list=UUakSi4_ei0aVffdQ4GzdYuA

      2º pois se o for sabe que a maus políticos, maus magistrados, maus juízes, maus polícias, maus jornalistas ………, se levar isto em consideração, vai ver que não diz tantos disparates, pois o “gajo” não lhe matou nenhum filho

      O sr tem problemas de saude ??? não consegue dizer coisa com coisa? Onde é que eu disse que o gajo me matou um filho ou insinuei???

      Mas alguém precisa de conhecer a acusação dele para saber que deveria estar preso?? basta ler os contratos das ppp, informe-se... é claro que a justiça é cega e finge que não ve, mas as pessoas que sabem veem..

      https://www.youtube.com/watch?v=3jABk06hDO8

      o sr devia informar-se em vez de insultar,
      Além do mais eu não disse que o gajo que mata um está muito bem, o sr tem mesmo problemas com o português, eu disse que pior do que quem mata um é quem mata milhões com a corrupção e repito...
      Tb não desvalorizei a perda de uma vida isso é invenção sua, dizer que pior que perder uma é perder muitas, não é desvalorizar é apenas um facto lógico lol

      O sr não conhece a lei da prisão preventiva, acusa-me de condenar socrates sem saber o que ele é acusado quando todos sabemos do que ele é acusado, e depois quer ter o sr o poder de decidir o que decide uma prisão preventiva??? Nem sempre são os atropeladores que representam perigo para a vida e para o processo.
      O atropelador já está identificado e o crime assumido, no caso so sócrates qualquer pessoa sabe que ele cá fora pode interferir no processo, mas claro para isso é preciso deixar de ser hipócrita e reconhecer que o socrates faz parte de uma máfia muito poderosa que mina este país... claro que há mais , mas não é por falar do socrates que estou a tirar o prestigio aos outros, basta ver o blog para conhecer os outros.

      Eliminar
    8. Vou então traduzir uma vez que não precebeu.
      As frases que se seguem entre aspas e sublinhadas são da sua autoria:
      “Pior que o gajo(1) que mata um(2) a conduzir bebado são os corruptos que matam milhões à fome, empurrados para suicidios, sem medicação , sem hospitais por perto, sem centros de saude, sem ambulancias... isso sim é que o deveria preocupar, preocupar que a justiça seja tão mole com quem trai o país e o povo e ande a perseguir pessoas que roubam uma lata de feijão...”
      - Esta foi a minha resposta a sua, como dizer? “Insensibilidade? Ou será outra coisa?”
      “se levar isto em consideração, vai ver que não diz tantos disparates, pois o “gajo”(1) não lhe matou nenhum filho “se é que o tem”, mas os país do “um”(1) chama-lhe ASSASINO”
      A sua resposta foi,

      “O sr tem problemas de saude ??? não consegue dizer coisa com coisa? Onde é que eu disse que o gajo me matou um filho ou insinuei???”

      - Agora diga –me quem tem problemas de saude ??? ou quem não diz coisa com coisa?
      - Eu não disse que o “gajo” lhe tinha morto um filho ou que tenha insinuado, o que eu disse foi que o “gajo” não lhe matou o seu filho, porque se fosse o seu filho vítima de atropelamento não tinha sido tão insensível.
      “o sr devia informar-se em vez de insultar,
      dirigir um insulto a; injuriar; ofender; ultrajar” (fonte: Dicionário Porto Editora)
      - Agora diga-me qual foi o insulto, a injúria, a ofensa ou o ultraje, que lhe dirigi nos meus comentários?
      “Além do mais eu não disse que o gajo que mata um está muito bem, o sr tem mesmo problemas com o português,
      - Tem a certeza? Sou mesmo eu que tenho problemas com o português?)
      eu disse que pior do que quem mata um é quem mata milhões com a corrupção e repito...
      - Como sabe que são milhões? leu alguma pesquisa científica no correio da manhã?

      Tb não desvalorizei a perda de uma vida isso é invenção sua, dizer que pior que perder uma é perder muitas, não é desvalorizar é apenas um facto lógico”
      - A perca de uma vida em condições trágicas e sempre de lamentar seja uma, duas ou milhões.
      “Mas alguém precisa de conhecer a acusação dele para saber que deveria estar preso??”
      - No tempo da inquisição não, actualmente sim. Se fosse comigo eu queria saber porque foi preso e quais as provas que tinham contra mim. Não chega dizer estas acusado de corrupção, tinham de me dizer quem corrompi, o ônus da prova não pode ser invertido quem acusa tem de provar.
      “basta ler os contratos das ppp, informe-se... é claro que a justiça é cega e finge que não ve, mas as pessoas que sabem veem..”
      - As ppp começaram no governo do cavaco, e tem sido transversais a todos os governos desde então, e aqui ao contrario do que diz, a justiça não é cega, é tudo uma questão de legislação. As ppp neste momento só podem ser julgadas em termos políticos (não votem em corruptos, pensem!)
      “O sr não conhece a lei da prisão preventiva, acusa-me de condenar socrates sem saber o que ele é acusado quando todos sabemos do que ele é acusado, e depois quer ter o sr o poder de decidir o que decide uma prisão preventiva???”

      - Eu não sei do que o Sócrates é acusado, a Zita também não, o Dr. Marinho e Pinto também não (e no ultimo fogo contra fogo disse inclusivamente que queria saber) e parece que nem o Sócrates sabe, isto fazendo fé nas declarações do seu advogado.
      Pelo que volto a repetir como cidadão não entendo que se prenda alguém por suspeitas de corrupção, e se deixe outro em liberdade depois de cometer um homicídio. E para apoiar a minha opinião tenho as estatísticas do meu lado, Portugal tem uma das maiores taxas de presos preventivos da Europa e uma das menores taxas de condenações por actos de corrupção e afins, não dá que pensar?

      Eliminar
    9. creio que continua sem perceber, dizer que matar milhares é mais grave que matar um não é insensibilidade, se não consegue perceber isso, lamento mas eu não vou explicar de novo. Quanto à prisão preventiva se é legal ou não se é justa ou não só saberemos se nos disserem tudo o que se passa e eles não podem nem são obrigados a faze-lo por motivos que desconhecemos.

      Eliminar
  3. Parabens pelo bom post. Não desanime com os "religiosos" que talvez um dia quando lhes sair do bolso talvez rezem uma Avé maria ao espirito santo e tenham um rebate de consciencia .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ninguém está aqui a defender religião nenhuma... estou só a abrir o leque de culpados pela corrupção que existe atualmente... e com isso não se está a diminuir culpas a ninguém... enfim...

      Eliminar
    2. Mas o artigo não fecha o leque porque está inserido num blog como mais amplos leque possivel de denuncia da corrupção. Como deve calcular eu não posso, em todos os artigos, colocar todos os corruptos senão os artigos seriam ainda maiores, e mesmo assim um artigo só com o socrates já dá pano para mangas. Mas percebe-se que neste blog o leque é bastante amplo, basta olhar para a coluna ao lado direito, onde se listam casos de corrupção da esquerda à direita, sem dó nem piedade.

      Eliminar
    3. Zézito ...o bode "respiratório" da corrupção06 dezembro, 2014 00:39

      Triste sina a deste país nas mãos destes "religiosos" tendenciosos e sectários que só percebem aquilo que lhes convém...cegos, tolerantes e crédulos a tudo o que querido líder faz e diz. Idolatria abstrusa, ignorante e patética.

      Sim, sim...o Sócrates, o Cavaco, o Mário Soares, o Paulo Portas, Passos Coelho e etc estão, de facto, totalmente inocentes. Pois, os verdadeiros responsáveis pela manutenção - pelo seu voto- desta máfia partidária que arruína o País há 40 anos, são estes fanáticos "futeboleiros" da política nacional. Os verdadeiros cangalheiros de Portugal.


      ""Cova da Beira. É a história mais antiga a envolver o nome de José Sócrates num alegado esquema de corrupção e está relacionada com a Covilhã, a terra onde cresceu e começou a sua vida profissional. As quatro cartas enviadas à Procuradoria-Geral da República e à Polícia Judiciária entre 1997 e 1998 eram bastante detalhadas. Diziam que Sócrates teria recebido 150 mil contos (750 mil euros) em "luvas" por causa do concurso público para a construção do aterro sanitário promovido pela associação de municípios da Cova da Beira (de que faz parte a Covilhã). Teria sido ele, segundo as denúncias, a nomear a equipa técnica que escolheu o vencedor.

      A investigação demorou dois anos a arrancar e, uma década depois, em 2007, acabaram por ser acusadas três pessoas: Horácio Luís de Carvalho, dono da empresa, a HLC, que ganhou o concurso público, pelo crime de corrupção ativa; António José Morais, engenheiro e professor universitário, dono da empresa AS&M, responsável pela análise das propostas a concurso, pelo crime de corrupção passiva; Ana Simões, sócia de Morais e sua mulher à data dos factos, pelo mesmo crime. Os três foram absolvidos em Janeiro de 2013, apesar de o Ministério Público ter recolhido provas de transferências de 58 mil euros de uma conta offshore de Horácio Luís de Carvalho para uma offshore do casal, ambas na ilha de Jersey. A Polícia Judiciária ainda tentou fazer buscas, no início da investigação, à casa de Sócrates, mas o procurador titular do caso achou que eram descabidas.

      Licenciatura. Um blogue esteve na origem da divulgação do caso, em março de 2007. Aparentemente, José Sócrates teria obtido o grau de engenheiro civil concluindo a licenciatura na Universidade Independente de forma irregular, em 1996. Quatro das cinco cadeiras feitas naquela instituição tinham sido ministradas por António José Morais, o engenheiro acusado de corrupção no caso Cova da Beira. E os monitores das cadeiras estavam todos eles igualmente envolvidos no concurso público da Cova da Beira, trabalhando como consultores para a empresa de Morais e ajudando-o a escolher tecnicamente qual a melhor proposta.

      Nesse mesmo ano, Morais foi nomeado diretor do Gabinete de Estudos e Planeamento de Instalações do Ministério da Administração Interna por Armando Vara, amigo e colega de governo de José Sócrates. E viria a atribuir uma série de trabalhos de fiscalização de obras ao arquitecto Fernando Pinto de Sousa, pai de Sócrates. (...)""

      Eliminar
    4. Obrigada pelo seu contributo , realmente é desesperante ver certos portuguesinhos que só podem andar a ser pagom pelos corruptos para andarem aqui a defende-los, ou então são cegos surdos e mudos.

      Eliminar
  4. Carta aberta ao Engº Sócrates

    Caro Sócrates,

    Li nos jornais as suas queixas acerca do sistema judicial português e do "sistema" em geral, e fiquei a pensar... Este homem foi primeiro-ministro em dois governos - num deles com maioria absoluta - podia ter criado ou alterado as leis no sentido de garantir que não acontecesse a nenhum cidadão português, aquilo por que ele está a passar, mas ao que parece, isso não foi uma prioridade.

    Se o senhor se queixa das regras do jogo pelas quais todos os portugueses se regem, quando foi o senhor que as fez, ou deixou como estavam, faz pouco sentido que se queixe dessas mesmas regras. Assim, vai dar ideia que o senhor criou as regras do jogo, ou não as alterou, porque nunca pensou que elas se aplicassem a si ou aos seus.

    Eu entendo que seja deprimente para si cair nas malhas da justiça, acusado de fraude fiscal, branqueamento de capitais, e imagine-se, corrupção, quando as leis em portugal estão feitas para dificultar a investigação e a acusação em casos de branqueamento de capitais e corrupção. Mas peço-lhe que tenha confiança no "sistema". Como sabe, a obtenção de prova para acusação de corrupção é muito complicada, e são tantas as regras rigorosas que se têm que seguir, que ao mais pequeno deslize é tudo anulado, e fica tudo sem efeito. O mais provável é um dos seus excelentes advogados arranjar forma de anular todo o processo. Com sorte, ainda vai conseguir uma indemnização do estado.

    Mas mesmo que tudo corra mal para o seu lado, e apesar das dificuldades que a acusação vai ter em produzir prova, mesmo que seja acusado e julgado, e se por azar for condenado em primeira instância, a lei permite-lhe recorrer da pena, e como o recurso tem efeito suspensivo da pena, vai poder ficar muitos anos em liberdade. Pode recorrer para o Tribunal da Relação, depois para o Supremo Tribunal de Justiça, e se necessário para o Tribunal Constitucional. Pode ser que nessa altura ainda tenha lá gente conhecida.

    Como saberá melhor que eu, uma coisa excelente que a nossa justiça tem, é ser lenta, e como o efeito suspensivo das penas não tem efeito suspensivo na contagem do tempo de prescrição, apresentando recursos em todas as instâncias judiciais, os crimes prescrevem antes de se esgotarem os recursos. Como sabe, já se safaram assim muitos condenados em primeira instância, e não eram tão importantes como o senhor Engenheiro.

    Como vê, a coisa não está assim tão preta como possa parecer à primeira vista. Pior, estão os portugueses que podem ser acusados injustamente e que não têm dinheiro nem advogados bons para recorrer, e vão parar a prisões comuns onde estão em contacto com toda a espécie de criminosos, sem protecção e sem regalias especiais. De qualquer forma, imagino que já esteja arrependido de não ter mandado instalar aquecimento central, um plasma, banheira de hidromassagem e um computador com net em cada cela do estabelecimento prisional de Évora.

    Saudações cordiais
    José Fonseca

    ResponderEliminar
  5. Presumo pelo que escreveu, que deveriam os tribunais e leis a serem alterados e muito urgentemente, para que tenhamos a possibilidade de ver todos os incumpridores serem castigados.No entanto, o sr. Fonseca prefere fazer já a condenação antecipando-se aos tribunais.O sr. lá sabe porquê.

    ResponderEliminar
  6. ...e o Zézito continua na gaiola07 dezembro, 2014 22:32

    Ad commodum suum quisquis callidus est. (Para seu proveito, cada um sabe.)

    Não se preocupe Sr. Ângelo Oliveira. O "Pai da democracia" já vociferou que o Sócrates está completamente inocente, antecipando-se aos tribunais. O Sr. Dr. Mário Soares lá sabe porquê...e eu desconfio.

    Sócrates, para ti, um apertado abraço com as lágrimas nos olhos...coitadinho!

    ResponderEliminar
  7. Incrível, que delicia.
    Não sou muito de blogs mas tenho de admitir que aqui há arte, muito trabalho e dedicação.
    Zita, os meus parabéns, já sou fan e seguidor.

    Zezito, granda post.
    Um grande bem haja para o senhor José Fonseca que escreve uma carta que me dá vontade de ir a Évora entregar-lhe em mão.

    Quanto aos "Senhores Angelos Oliveiras" deste país, aos cegos e surdos que continuam a votar nesta ditadura disfarçada, nesta “cosa nostra” evidente para quem tem mais de 2 neurónios, a esses, os meus maiores desejos são emigrem de vez (estou a tentar não estragar-lhe o blog com a partilha dos meus reais desejos).
    A única esperança deste país é que a carneiragem que alimenta este centrão podre e empedernido numa teia de comprometimentos e favoritismos impossível de desfazer, a única esperança seria que esta carneiragem que de 4 em 4 anos destrói o nosso país um pouco mais, seria que lhes desse uma paralisia cerebral no domingo fatídico que a cada 4 anos nos atasca um bocado mais. Desta forma só sobrariam os leitores destes blogs e uma ou outra minoria que usa o cérebro para pensar. E aí, talvez houvesse alguma esperança para um país com tanto potencial como o nosso querido cantinho ‘a beira mar plantado.
    Mas isto sou eu a sonhar com o rato Mickey e com o pato Donald. (desculpem, já estava a embalar)

    De maneiras que, olha, como não emigram eles, tive de sair eu. A bem da minha sanidade mental e auto estima.
    Aos que me entendem e não podem sair, o meu grande abraço de solidariedade!
    Aos carneiros que de 4 em 4 anos dizem: agora sim é que vai ser… a esses, o meu grande …. Pffff….

    Uma vez mais, Zita,
    Bom Trabalho!
    Obrigado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois também gostava de poder emigrar, este país ainda vai tardar muitos anos até ter um povo suficientemente civilizado para saber vigiar e defender a democracia, neste momento temos uma molhada de pessoal cego pelos seus partidos de sempre, ferrenhos defensores de corruptos até à morte (nunca mais morrem) pessoas que fazem tudo para que o SEU partido ganhe, nem que saibam que a única coisa que tem feito é roubar o seu país e os seus impostos.

      Eliminar