02 dezembro, 2014

Clara Ferreira Alves critica a detenção de Sócrates. Coitado foi detido na manga do avião?

Afinal Sócrates tinha bilhetes de avião para o Brasil para 24 de Novembro.
Espero que agora, alguns dos que atacaram a justiça em defesa de um politico (entre outros) que arruinou o país, tenham vergonha de ter perseguido os que estão a tentar fazer justiça.

É nos momentos de aflição que se vê quem são os amigos.
Os amigos de Sócrates, claro. Andavam disfarçados de comentadores isentos e patriotas para conquistarem o seu público, mas eram afinal mais uns dos que à socapa manipulam o povo, pró PS. Fingindo que são contra a corrupção, e que são pelo país, pela justiça e verdade.
É nestas alturas que se vê quem são os "amigos" e quem são os isentos e verdadeiros.
Porque o momento é grave para a corrupção mas radioso para a democracia, por isso alguns não conseguiram ocultar de que lado estão. Porque é agora que se deixam cair as máscaras e o espírito de seita vem ao de cima.
Antes clamava-se por justiça e criticava-se a inércia da justiça, mesmo quando esta está a investigar o processo submarinos, BPN, Monte Branco, etc mas agora que ela actua (no pobre srº), exigem que ela recue e tudo fazem para a desacreditar.
De repente está tudo preocupado com o Sócrates e não com o país? Torcem para que a justiça falhe e seja suave?
Exigem saber quais as provas,, mas também exigem que se respeite o segredo de justiça. Exigem saber porque é que houve prisão preventiva, mas depois queixam-se da violação do segredo de justiça. Criticam o juiz, a policia, o tribunal, os jornalistas, todos são criminosos do 3º mundo, agora repudiados, que maçam o desgraçadinho do Sócrates.
Só a malta do PS é pode falar do assunto, ou os que defendem o Sócrates, todos os outros que se calem porque estão a fazer "julgamento em praça pública"?? Vale tudo para salvar o desgraçadinho. 
Então e os que comentam a favor dele, como o artigo que se segue, a manipular a informação inocentando-o, também não é julgamento em praça pública? Os julgamentos tanto o são para condenar como para ilibar... mas ao que parece os defensores de Sócrates são tão cegos, que a incoerência é já o único prato do dia.

Clara Ferreira Alves no Expresso a propósito da detenção de José Sócrates: 
(A azul coloquei a minha opinião/critica em relação ao que a CFA, afirma)
"A Justiça é antes de mais um código e um processo na sua fase de aplicação. Ou seja, obediência cega, essa sim cega, a um conjunto de regras que protegem os cidadãos da arbitrariedade. Do abuso de poder. Do uso excessivo da força. Essas regras têm, no seu nó central, uma ética. Toda e qualquer violação dessa ética é uma violação da Justiça. E uma negação dos princípios do Direito e da ordem jurídica que nos defendem.
Num caso de tanta gravidade como este, o da suspeita de crimes graves e detenção de um ex-primeiro-ministro do Partido Socialista, verifico imediatamente que o processo foi grosseiramente violado. Praticou-se, já, o linchamento público. Como?
(A justiça é tudo isso e já agora o que é a politica? A politica enquanto exercício de cargos públicos tem, no seu nó central, uma ética. Serve para proteger os cidadãos do abuso do poder, do saque dos impostos, da bancarrota, dos interesses que lesam o bem comum. Serve ainda para proteger o país de toda e qualquer violação dessa ética pois violar essa ética é uma violação da democracia, uma violação do estado de direito, uma violação da integridade da soberania do país, uma violação do contrato sagrado entre eleito e eleitores, uma violação dos direitos humanos, uma ameaça ao estado social e a todos os valores que alicerçam uma nação autónoma e justa.. uma traição. 
Mas isso não a preocupa? 
Essa ética tem sido constantemente violada de forma cobarde e descarada e isto não é uma opinião é um facto que está à vista de todos. Basta olhar para um país inteiro falido e empobrecido, para o provar, infelizmente isso não serve de prova na justiça, caso contrário poderíamos prender todos os que directa ou directamente gerem Portugal há décadas danosamente ou irresponsavelmente. 
Mas isso não a preocupa?
O País está sempre falido ou em vias de, enquanto políticos e amigos enriquecem de forma inexplicável. 

Mas isso não a preocupa? 
Critica-se a justiça porque agora é tudo culpa da justiça? Porque não fazia... porque faz, porque não pode fazer. Mas poucos sabem que a corrupção em Portugal, tal como reconhece o presidente da TIAC, é sistémica (video em baixo),  anula o poder dos organismos reguladores e legisladores, porque a corrupção em Portugal já atinge esses mesmos organismos ou está dentro deles.
Linchamento público é o que se tem feito aos portugueses que há muito foram sumariamente condenados a pagar o saque de que são vitimas e não autores, em toda a comunicação social e comunicados de políticos, se acusam os portugueses de viverem acima das suas possibilidades e agora vão ter que pagar. 
Mas isso não a preocupa?)

1) Detendo o suspeito numa operação de coboiada cinemática, parecida com as de Carlos Cruz e Duarte Lima, a uma hora noturna e tardia, num aeroporto, quando não havia suspeita de fuga, pelo contrário. O suspeito chegava a Portugal. Porque não convocá-lo durante o dia para interrogatório ou levá-lo de casa para detenção?  
(Uma saída discreta num carro normal ás escuras e sem acesso a ninguém só um relance de uma câmara que nada mostra, é uma coboiada? Cinemática? A uma hora tardia? Foi a policia que lhe marcou o voo e o adiou? Esta senhora sempre foi fã secreta de Sócrates e agora caiu a máscara. Condoída de pena do sr milionário? Não havia perigo de fuga? Ele adiou a viagem e vive fora do país, claro que não havia perigo de fuga. Perigo de destruir provas, algumas fontes afirmam que ainda teve tempo de pedir à empregada para ir esconder o seu computador.(!!!).) 

2) Convidou-se uma cadeia de televisão a filmar o acontecimento. Inacreditável.
(Creio que o país tem direito à informação. E como é que sabe que convidaram a cadeia de TV? Pode ter sido uma fuga de informação como aquela que dizem que levou o Sócrates a adiar a viagem?Ou uma violação do segredo de justiça, ao estilo daquelas do Ferro Rodrigues)       

3) Deram-se elementos que, a serem verdadeiros, deviam constar em segredo de Justiça. Deram-se a dois jornais sensacionalistas, o "Correio de Manhã" e o "Sol", que nada fizeram para apurar o que quer que seja. Nem tal trabalho judicial lhes competia. Ou seja, a Justiça cometeu o crime de violação do segredo de Justiça ou pior, de manipulação do caso, que posso legitimamente suspeitar ser manipulação política dadas as simpatias dos ditos jornais pelo regime no poder. Suspeito, apenas. Tenho esse direito.
(E se foram os jornalistas que deram a informação à justiça? Como foi no caso dos colégios privados? No caso do SIRESP? Nos casos do SNS? No caso do grupo Sanfil? E muitos outros casos que são os jornalistas que investigam e obrigam a justiça a agir ou a fingir que age? Há jornalistas assim que não se limitam a ser comentadores do que outros fazem, alguns fazem mesmo investigação a bem do país.)

4) Leio, pela mão da jornalista Felícia Cabrita, no site do "Sol", pouco passava da hora da detenção, que Sócrates (entre outros crimes graves) acumulou 20 milhões de euros ilícitos enquanto era primeiro-ministro. Alta corrupção no cargo. Milhões colocados numa conta secreta na Suíça. Uma acusação brutal que é dada como certa. Descrita como transitada em julgado. Base factual? Fontes? Cuidado no balanço das fontes, argumentos e contra-argumentos? Enunciado mínimo dos cuidados deontológicos de checking e fact-checking? Nada. Apenas "o Sol apurou junto de investigadores". O "Sol" não tem editores. Tem denúncias. Violações de segredo de Justiça. Certezas. E comenta a notícia chamando "trituradora" de dinheiro aos bolsos de Sócrates. Inacreditável.
(Ainda bem que há jornalistas de investigação, os portugueses que se preocupam com a pátria, agradecem e apoiam a 100% os jornalistas que arriscam o cargo para denunciar a corrupção. Se a srª CFA ler o artigo, a teia foi desmontada e está bem explicado o emaranhado em que os 20 milhões escondidos na conta, se ligavam a Sócrates. É incrível como ela acha intolerável a forma como Sócrates e Duarte Lima foram detidos, mas não acha intolerável o saque que foi feito ao país!) 

5) Verificamos apenas, num estilo canhestro a que a biógrafa de Passos Coelho nos habituou (caso Casa Pia, entre outros) que a notícia sai como confirmada e sustentada. Se o Watergate tivesse sido assim conduzido, Nixon teria ido preso antes de se saber se era culpado ou inocente. No jornalismo, como na justiça, há um processo e uma ética. Não neste jornalismo.
(Sócrates foi detido para interrogatório e não preso antes de se saber se é culpado ou inocente, é diferente não é?)

6) Neste momento, não sei nem posso saber se Sócrates é inocente ou culpado. Até prova em contrário é inocente. In dubio pro reo. A base de todo o Direito Penal.
(Nem ela sabe nem ninguém, apenas podemos adivinhar dado os factos que nos rodeiam, o país está falido e alguns políticos e amigos, estão milionários. É somar 2+2)

7) Espero pelo processo e exijo, como cidadã, que seja cumprido à risca. Não foi, até agora. Nem neste caso nem noutros. Isto assusta-me. Como me assustou no caso Casa Pia. Esta Justiça de terceiro mundo aterroriza-me. Isto não acontece num país civilizado com jornais civilizados. Isto levanta-me suspeitas legítimas sobre o processo e a Justiça, e neste caso, dada a gravidade e ataque ao regime que ele representa, a Justiça ou age perfeitamente ou não é Justiça.
(Gostava era que a CFA como cidadã exigisse também que os políticos fossem honestos "à risca". Tal como a nossa justiça é de terceiro mundo talvez a CFA não saiba que a corrupção em Portugal, é de terceiro mundo, mas isso não a indigna, quem defende politicos em vez do país, cai sempre nesta infeliz falta de isenção.) 

8) Verifico a coincidência temporal com o Congresso do PS. Verifico apenas. Não suspeito. Aponto. E recordo que há pouco tempo um rumor semelhante, detenção no aeroporto à chegada de Paris, correu numa festa de embaixada onde eu estava presente. Uma história igual. Por alturas da suspeita de envolvimento de José Sócrates no caso Monte Branco. Aponto a coincidência. Há um comunicado da Procuradoria a negar a ligação deste caso ao caso Monte Branco. A Justiça desmente as suas violações do segredo de Justiça. Aponto.
(A teoria de perseguição de que foi calculada a detenção no dia de tomada de posse do António Costa é ridícula, foi Sócrates que marcou o voo e foi ele que o adiou 2 dias, a policia estava à espera dele, 2 dias antes, ele é que adiou a viagem, se foi calculado, foi pelo Sócrates.) 

9) E não, repito, não gosto de José Sócrates. Nem desgosto. Sou indiferente à personagem e, penso, a personagem não tem por mim a menor simpatia depois da entrevista que lhe fiz no Expresso há um ano. Não nos cumprimentamos. Não sou amiga nem admiradora. É bizarro ter de fazer este ponto deslocado e sentimental mas sei donde e como partem as acusações de "socratismo" em Portugal.
(Não me parece muito coerente, já várias vezes no seu programa, acorreu em defesa de Sócrates, onde não aparentou isenção, nada como parecer isento para ter mais audiência, esquerda, direita e centro)

10) As minhas dúvidas são as de uma cidadã que leu com atenção os livros de Direito. E que, por isso mesmo, acha que a única coisa que a Justiça tem a fazer é dar uma conferência de imprensa onde todos, jornalistas, possamos estar presentes e fazer as perguntas em vez de deixar escorregar acusações não provadas para o "Correio da Manhã" e o "Sol". E quejandos. Não confio nestes tabloides para me informarem. Exijo uma conferência de imprensa. Tenho esse direito. Vivo num Estado de Direito.
(Como jornalista também era bom que a própria mostrasse alguns trabalhos de investigação, quer saber a verdade exige a verdade exige que a informem? Mas a CFA tem poder para a procurar e estatuto para investigar a verdade, porque não o faz? Em vez de exigir a verdade aos colegas jornalistas, colabore com eles e investigue, o país agradece.)

11) Há em Portugal bom jornalismo. Compete-lhe impedir que, mais uma vez, as nossas liberdades sejam atropeladas pelo mau jornalismo e a manipulação política.
(Ora nem mais, força nisso srª Clara Ferreira Alves, investigue estes sacanas que roubam o país e ajude a que o bom jornalismo vença o mau jornalismo, com factos e não opiniões. Com trabalho no terreno e não apenas de língua.)

12) Vou seguir este processo com atenção. Muita. Ou ele é perfeito, repito, ou é a Justiça que se afundará definitivamente no justicialismo. Na vingança. No abuso de poder. Na proteção própria. O teste é maior para a Justiça porque é o teste do regime democrático. E este é mais importante que os crimes atribuídos a quem quer que seja. Não quero que um dia, como no poema falsamente atribuído a Brecht, venham por mim e não haja ninguém para falar por mim. A minha liberdade, a liberdade dos portugueses, é mais importante que o descrédito da Justiça. A Justiça reforma-se. A liberdade perde-se. E com ela a democracia. " Expresso
( Eu e muitos portugueses gostavam que a Clara Ferreira Alves em vez de seguir o processo com atenção, que ajudasse na investigação com atenção e tal como a Felicia Cabrita, trouxesse dados que inocentem ou culpem o Sócrates, não se limite a seguir, contribua para a justiça a democracia e a libertação da corrupção. Faça uma investigação como a da Felicia Cabrita, que encontrou muitos factos,  que a incompetência ou a corrupção poderão ou não conseguir invalidar ou aniquilar.)

O segredo de justiça que é agora reclamado a sete ventos pelo PS, foi outrora violado e desprezado pelo PS no processo casa Pia: Ferro Rodrigues: “Tou-me cagando para o segredo de Justiça” Escutas mostram o verdadeiro espírito PS?

Condenável o linchamento público.
Jamais deveria ocorrer no tal estado de direito de que a ilustre fala mas que eu, cego pela minha ignorância política nunca logrei vislumbrar. Contudo e não apenas empiricamente, sei o que é ser linchado publicamente. Senti esse hediondo acto repetidas vezes, quando até à exaustão os "reformadores da justiça" me acusaram de ter "vivido acima das minhas possibilidades" e ser responsável pelo estado calamitoso da Nação.
Pensava eu, na minha ignorância política, social e cultural que bastaria pagar o que me era exigido pelo sistema e não contrair dividas impagáveis para não viver acima das minhas possibilidades. Claramente, estava errado e os sábios portugueses do alto de Belém, S. Bento e AR, de Norte a Sul do território falaram tantas vezes no meu acto criminoso, na minha vida dispendiosa à custa do erário publico ( presumo eu, não sei como mas seguramente terá sido) como na cena positiva internacional se martelou a opinião publica com as frases "weapons of mass destruction" e "war on terror". Concordo consigo. Linchamentos públicos não.
Minha cara Sra. Clara Ferreira Alves, desejo ardentemente o mesmo que a ilustre deseja, que se faça justiça e que esta não se limite a José Sócrates mas que seja abrangente  em todos os sentidos na sua acção. Não posso deixar de dizer que espero há cerca de 40 anos. Cá em baixo. No meio da minha ignorância, vivendo acima das minhas possibilidades, com as nefastas consequências para Portugal que todos nós já conhecemos. Cumprimentos, onde quer que esteja, nesse país lindo que talvez esteja perto do Rossio, com a bonita vista de uma luz ao fundo do túnel.

Esqueçam a justiça, o BPN, as PPP, os submarinos, a democracia e Portugal. Avisa presidente do TIAC.






21 comentários :

  1. Condenavel sempre condenavel que se defenda uma verdade para os amigos e outra para os outros.Cidadãos comuns fazem bem em repudiar isto mesmo que seja dos adeptos do seu credo.A dita senhora foi asquerosa agora e já noutras ocasiões se notou, ao fazer julgamentos antes de tempo. eu tinha vergonha de fazer estas figuras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pena é serem estas figuras que fazem a opinião dos portugueses

      Eliminar
    2. Prémio "Mais valia estar calado" vai para: António Arnault pelas suas declarações a propósito da devolução de um livro que enviou a José Sócrates para o estabelecimento Prisional de Évora:"...quem fez uma lei destas só pode ser um idiota... ...isto são leis fascistas...." Dizia Arnaut
      " Artigo 127.º Envio e recepção de encomendas 1 — O recluso pode receber, através do correio, uma encomenda por mês remetida pelas pessoas que estejam registadas como seus visitantes, com o peso máximo de 5 kg cada ..........................................................
      Regulamento Geral dos Estabelecimentos Prisionais aprovado pelo Decreto-Lei nº 51/2011, de de 11 de Abril.Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 3 de Fevereiro de 2011. José Sócrates

      Eliminar
  2. Essa senhora idolatra Sócrates! Nunca o escondeu. Até deve ter uma paixoneta pelo sujeito. E as entrevistas (amigas e simpáticas) do "alegado" corrupto para o Grupo Impresa foram e são sempre conduzidas por ela. São a verdadeira antítese do HARDtalk da BBC. Muito gostaria eu de ver o "animal feroz" a ser entrevistado pelo Stephen Sackur. Talvez aí já ficaria mais "manso".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois mas ela nega sempre e o povo acredita... infelizmente nem todos têm o mesmo discernimento que o sr, e é dificil combater a desinformação da TV que tem muito mais poder que qualquer outro órgão de divulgação

      Eliminar
  3. Bem observado, Zita.
    Falta neste país quem não tema o bando e lhes chame vigaristas.
    Está na cara que nada têm de jornalistas. São meros manipuladores da opinião pública. O PS conseguiu quase a hegemonia na comunicação social onde os velhos fósseis comunistas, que tomaram as redacções em 74, foram sendo ceifados pela idade.
    Os crimes do Sócrates não têm espaço no debate televisivo. O que importa são questões laterias como o segredo de justiça do qual o seu presidente de grupo parlamentar se disse estar a cagar para ele, sem nenhuma manifestação de repúdio pela mesma alcateia.
    Parabéns pela lucidez :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, mas eu é que agradeço a sua... :) é reconfortante saber que há mais como nós.

      Eliminar
  4. "Esta Justiça de terceiro mundo aterroriza-me. Isto não acontece num país civilizado com jornais civilizados". CFA ao criticar a justiça não está a defender a corrupção.
    Vejam também:
    http://sicnoticias.sapo.pt/opinionMakers/antonio_jose_teixeira/2014-11-27-E-possivel-falar-de-Socrates-e-da-Justica-sem-uma-chuva-de-pedras-
    "Preocupam-me mais as arbitrariedades e os silêncios de quem tem um poder quase absoluto sobre a nossa liberdade".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o Zé tá preso e eu continuo teso02 dezembro, 2014 23:32

      Coitadinho do nosso querido Zézito ...snif...snif!!

      http://www.youtube.com/watch?v=cWxxUYp33K0

      Eliminar
    2. Meu caro eu não disse que estava a defender a corrupção, apenas disse que a vejo muito indignada com algo que nem ela nem ninguém, sabe se é justo. Critica a justiça de terceiro mundo? E não será essa a justiça apropriada para crimes de terceiro mundo? E não se preocupa com o facto de Portugal viver sob o jugo da corrupção de terceiro mundo? Está mais preocupada em desacreditar a "Felicia Cabrita que fez a biografia do coelho" e em desacreditar a justiça, do que em apoiar a justiça que no meio de muitas dificuldades, está a combater a corrupção ou a dar sinais nesse sentido. Uma justiça sufocada por interesses e poderes paralelos, perseguida tal como a Cabrita e outros que tais. Isso sim é o terceiro mundo em todo o seu esplendor.
      Agora cai tudo em cima da justiça porque prende sem dizer porque, mas se disser é violar o segredo se não diz é o silencio do opressor? Quer dizer isto parece-me mais um incoerência de uma defesa sem defesa, do que um argumento.

      Sabe que há quem ache que as arbitrariedades e os silêncios de quem tem um poder quase absoluto sobre a nossa liberdade está nas mãos da justiça, mas há muitos mais portugueses que acham que as arbitrariedades e os silêncios de quem tem um poder quase absoluto sobre a nossa liberdade, está nas mãos dos corruptos, que há 40 anos nos enganam, lesam e nos tiram a liberdade de ter uma vida digna, uma família sustentável, um país com esperança, jovens com futuro. Os corruptos que arbitrariamente roubam e atrofiam a economia, sem se preocupar com a destruição das condições de vida de milhões de pessoas.
      Esses sim é que possuem o poder para nos roubar a liberdade e muito mais que isso.

      Sócrates até pode ser inocente de muitas coisas, mas todos sabemos que eles fez PPP criminosas, rendas assassinas, endividou o país e esbanjou o estado social. Por isso ele nunca será inocente por muito que seja absolvido da justiça.

      Não me venham pois dizer, que não o podemos julgar antes de saber o que a justiça vai dizer, porque há muitas pessoas que não precisam de ouvir a justiça para saber que ele não é inocente, basta olharem para o país.

      A hipocrisia é que cria estes eufemismos... será ele culpado? Claro que é culpado e vai sair ileso como sempre.
      Ou porque alguém cortará as provas ilegalmente, e anulam o processo, ou alguém se esquece de pagar uma taxa de 2 euros, e arquiva-se o processo, ou alguém rejeita provas porque são ... enfim... demasiado óbvias e encerra-se o assunto, ou prende-se preventivamente e ,,, Ups isso era ilegal, então acabou-se o julgamento, está tudo anulado.
      ^
      Existe um julgamento que ultrapassa as portas dos tribunais, e não é vingança, nem chega a ser justiça, é apenas querer por um fim a isto. Deixar Portugal e os portugueses viverem sem o peso insuportável da corrupção.

      Pois como diz Ventura Leite, ex deputado do PS, o problema de Portugal é que a nossa divida aumentou de forma improdutiva, ou seja isso significa que foi devido a corrupção e não a investimento no desenvolvimento.

      https://www.youtube.com/watch?v=jPr2HH7QobQ


      Eliminar
    3. o nosso querido Zézito...Ai que desgraça03 dezembro, 2014 00:07

      Clara Ferreira Alves, António José Teixeira e a conversa fiada do costume para adormecer as (in)consciências ocas deste País.

      Paulo Morais:
      http://www.youtube.com/watch?v=OBCuwIa8Nok

      “O poder não dá nada que não lhe seja exigido. Nunca deu e nunca dará. Descubra ao que um povo submeteu-se em silêncio, e você terá a exata medida da injustiça e dos malfeitos impostos àquele povo, e a injustiça e os malfeitos continuarão, até que o povo se levante contra eles, seja com palavras seja com armas, ou com ambos. Os limites de cada tirano podem ser medidos pela capacidade de tolerar dos que eles oprimem.” - Frederick Douglass

      Eliminar
  5. Uma coisa é julgar a corrupção outra coisa é julgar políticas que foram votadas na Assembleia eleita pelo povo. Misturam-se levianamente os conceitos e ainda se concentra todo o mal que existe país num bode expiatório que é José Sócrates. A Clara Ferreira Alves defende José Sócrates exatamente nos mesmos termos que Marinho Pinto o defende.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tem nada a ver, Marinho sempre foi contra a prisão preventiva e o abuso de poder da justiça, e é disso que ele fala a CFA está contra tudo e de forma muito tendenciosa, imaginando coboiadas que não existiram e criticando o mediatismo que é natural. Assim como outras coisas que ela critica... só a mesquinhez como se refere a Felicia Cabrita, demonstra que não é uma critica isenta.

      Eliminar
    2. Zézito o bode "respiratório"...coitadinho04 dezembro, 2014 19:27

      CRIMES ECONÓMICOS E CRIMES PENAIS

      "Os piores crimes que um governante pode cometer não estão capitulados no Código Penal, podem ser cometidos sem infringir nenhum dos seus artigos: são os crimes que lesam a economia nacional. Desgraçadamente, Portugal tem experimentado uma série contínua deles ao longo das últimas décadas. Começaram pelas privatizações selvagens e continuaram com a entrada na UE e a adesão ao Euro. Prosseguiram ao longo de anos com projectos absurdos como a rodoviarização acelerada no tempo de Cavaco como primeiro-ministro; com o desbaratar de dinheiros públicos com a construção de estádios no tempo de Guterres; intensificaram-se no governo Sócrates com negócios concebidos ad hoc para o capital financeiro e monopolista como as PPPs, o TGV, o novo aeroporto, os veículos eléctricos e muitos outros.

      É por crimes económicos como estes que os governantes deveriam ser julgados." - resistir.info

      "A saída deste desastre não será conduzida por estes partidos, nem pelas elites que prometeram o desenvolvimento do país com a sua participação no "pelotão da frente" da UE. Venderam tranquilamente a nossa soberania a troco de "fundos estruturais", disfarçando o negócio com a retórica da "soberania partilhada" e da Europa "social". Na verdade, foram responsáveis pela desindustrialização do país, o subdesenvolvimento da agricultura, das florestas e das pescas, assim como da desertificação do Interior. O dinheiro fácil comprou a sua submissão à globalização sem freios, facilitou o investimento público sem critério, financiou a especulação imobiliária, deixou em roda livre o sistema financeiro e conduziu o país a um dramático endividamento externo. Os partidos que governaram o país foram, no mínimo, cúmplices do saque dos recursos do Estado. Toleraram a criminalidade económica e fecharam os olhos à pequena e grande corrupção, dentro e fora dos partidos, nas autarquias e no poder central. Pior, contribuíram para a desmoralização geral porque garantem aos cidadãos que, qualquer que seja o partido eleito, no essencial a política será a mesma." João Rodrigues

      Eliminar
  6. tanto show deste caso como fosse um Deus,e os outros 140.000 presos?estamos num verdadeiro país terceiro mundista só falta levar o sofá para a selva.

    ResponderEliminar
  7. O ex-Inspector da PJ, Carlos Anjos, explicou ontem de forma muito
    clara, porque não houve qualquer violação do segredo de Justiça
    aquando da detenção de José Sócrates no Aeroporto.
    José Sócrates teve um primeiro voo da TAP marcado para Lisboa para o
    qual chegou a fazer check-in. Quando o avião chegou a Lisboa a PJ
    estava à sua espera na manga... mas Sócrates à ultima da hora
    (provavelmente informado) não embarcou!
    Naturalmente a PJ, identificando-se, pergunta na TAP pelo Passageiro
    (só a pedido da PJ essa informação pode ser fornecida). Os serviços da
    TAP têm mesmo que informar e confirmar que o passageiro, de facto,
    tinha feito check-in na origem, mas à ultima hora não embarcou. É
    evidente que, no ‘boca a boca’, e de imediato, se começou a espalhar
    entre os funcionários do aeroporto que a PJ estava à espera de
    Sócrates. Inevitável!
    Seguiu-se depois a informação que, afinal, Sócrates iria chegar noutro
    voo, este da Air France. A PJ continuou em espera no aeroporto. Chegou
    o voo da Air France, a PJ de novo na manga em espera, e Sócrates, mais
    uma vez, não apareceu. A mesma pergunta nos serviços competentes da
    TAP, perante identificação, e claro a mesma resposta: o passageiro
    José Pinto de Sousa teria feito de novo check-in em Paris, nesse voo
    da Air France, e mais uma vez não embarcou.
    Finalmente, Sócrates acabou por chegar num terceiro voo, da TAP, e aí
    sim foi detido na manga e foi-lhe retirado de imediato o telemóvel
    para cortar todas as possibilidades de contactos. É evidente que,
    nessa altura, e nas horas que intermediaram entre o primeiro voo e a
    sua chegada, todo o aeroporto ficou a saber que a PJ estava à espera
    de Sócrates.
    A partir daí até chegarem as TVs foram poucos minutos! É jornalismo! Simples!

    ResponderEliminar
  8. Não tenho paciência para ler ou ouvir CFA ,calhou, num programa sobre a prisão do ilustre destruidor da pátria , vê-la num estado catatónico , vermelha , olhos esbugalhados , as veias do pescoço saltavam....não vi mais.....mudei de canal....não a aprecio , mas supus que não fosse tão burra.......

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está possuída, descontrolada... sócrates ainda é um deus para muita gente

      Eliminar
  9. Para refletir...
    Não interessa falar muito, interessa falar bem.
    O mundo da fantasia é perfeito, mas vivemos no mundo real, e o mundo real é imperfeito. No mundo real devemos questionar aquilo que nos querem impor como verdade absoluta, devemos perguntar:
    - Quem nos guarda dos guardas?
    - Quem fiscaliza a imprensa para não censurar factos incómodos?
    - Quem fiscaliza a justiça onde há opacidade?
    - Em suma, quem fiscaliza os poderes para não cometerem abusos?
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Quis_custodiet_ipsos_custodes%3F

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O nosso querido Zézito...Ai tão desgraçadinho,06 dezembro, 2014 00:07

      “Parvus pendetur fur, magnus abire videtur”. - Ladrão endinheirado nunca morre enforcado.

      Curiosa coincidência entre as palavras do Sr(a) Anónimo e a carta no DN do Sr. Engenheiro José Sócrates :

      (…)
      “Digamo-lo sem rodeios: o "sistema" vive da cobardia dos políticos, da cumplicidade de alguns jornalistas; do cinismo das faculdades e dos professores de Direito e do desprezo que as pessoas decentes têm por tudo isto. De resto, basta-lhes dizer: "Deixem a justiça funcionar." Sim, não se metam nisto. É verdade que, há muito, alguns desafiam o sistema e dizem abertamente que a justiça foi ultrapassada. Bem o vemos. Mas, e se foi ultrapassada por aqueles a quem confiamos a nossa liberdade? SIM - PERGUNTA CLÁSSICA - QUEM NOS GUARDA DOS GUARDAS? Silêncio. "As instituições estão a funcionar."
      - Carta de José Sócrates 04/12/2014 Diário Noticias

      «Politicus est professio ex sumo currrency ex los uber quod suffragium ex los pauper, gratia servo ut los unos ex los alius» (Política é a arte de obter dinheiro dos ricos e votos dos pobres, com o fim de proteger a eles e os outros).


      Eliminar
  10. Só sei uma coisa o Sócrates, já foi à viola e de seguida acho que é o Salgado.

    ResponderEliminar