08 março, 2014

CIDADÃO QUE DESAFIA E PROCESSA O GOVERNO, NOVAMENTE RETIRADO DA AR PELA POLICIA.


processo em tribunal cavaco silvaMais uma vez Ivo Margarido, decide falar por Portugal... e denunciar.
Interrompeu o debate no Parlamento e desafiou o governo, a denunciar o esquema, usado há décadas, que favorece as elites e destrói os países, as sociedades e o povo, e que continua a ser encoberto e apoiado pelos governos.
O sistema financeiro, (a banca), suga os recursos do estado e dos países, e que os distribui pelos amigos que os ajudam no saque.
A corrupção é o maior aliado de todo este esquema cujo objectivo primordial é assegurar a riqueza e bem estar das elites, a qualquer preço, mesmo falindo e matando inocentes.
Aliás para eles, as mortes dos pobres, representam apenas mais um dos seus macabros objectivos.
Assim Ivo Margarido, interrompeu Passos Coelho, para lhe perguntar porque não denuncia e trava este descalabro. Os governos insistem em perpetuar o saque, pois todos os esforços e sacrifícios, exigidos ao povo, se têm concentrado em salvar a banca. Mesmo as rendas das PPP, EDP, e outros desvios de impostos que todos conhecemos, têm como beneficiário final, a banca.
O resgate a Portugal do BCE, representa algo que já todos devíamos ter percebido... arranjaram 10 milhões de clientes/escravos subservientes, dependentes, impotentes, que pagarão juros agiotas, ao BCE.
E mais uma vez é retirado do parlamento, pela força, enquanto gritava; "O actual sistema monetário é a maior VIGARICE de sempre ... e beneficia de total protecção dos sucessivos Governantes..."
Mas as acções deste cidadão não se ficam pelas intervenções... também já colocou vários processos em Tribunal, contra diversas figuras e actos do governo.
Neste link outras das suas acções

Neste video, a denúncia e explicação da insustentabilidade do actual sistema financeiro.



Ex.ma Sra. Presidente da Assembleia da República,
Dra. Assunção Esteves,
Permita que me apresente de novo. O meu nome é Ivo Margarido; sou o Cidadão que ontem interrompeu pela terceira vez a Sessão Parlamentar, com total legitimidade em conformidade com o Artº 21 da Constituição da República Portuguesa.
Venho comunicar-lhe que não compactuo com o crime e muito menos com aqueles que o apoiam. Provo a todos os portugueses que também a Sra. Presidente da Assembleia da República apoia o crime organizado; não poderá alegar desconhecer a fraude do sistema monetário e as graves consequências que dela resultam para a sociedade, uma vez que eu próprio lhe enviei toda a informação necessária. Não poderá ainda alegar desconhecer que, na sequência da denúncia criminal que apresentei, a Procuradoria-Geral da República não procedeu à abertura de inquérito, alegando que “não existe um dever de investigar e proceder relativamente a todas as denúncias”.
Convém não esquecer que também a Sra. Presidente da Assembleia da República tem ignorado os diversos pedidos de audiência que lhe foram dirigidos visando a tomada de medidas urgentes para travar a referida fraude, lesando esta toda a população especialmente a que se insere nas classes económicas mais baixas. Testemunhamos um dos maiores conluios da história de Portugal do qual também a Sra. Presidente da Assembleia da República faz parte.
Afirmava ontem a Sra. Presidente da Assembleia da República, quando interrompi o debate parlamentar; "As pessoas nas Galerias têm que se habituar a respeitar o seu Parlamento, este Parlamento também é das pessoas que estão nas Galerias ...". Não se engane Sra. Presidente e não inverta os papeis porque certamente “inconseguirá” esse objetivo. Não creia que todos os Cidadãos portugueses sejam cobardes e aceitem todas as medidas criminosas que os sucessivos Governos e Órgãos de Soberania lhes impõem. Não creia ainda que todos os portugueses sejam incultos e desinformados. Não creia também que todos os portugueses estejam entretidos com novelas e demais conteúdos televisivos que fomentam a estupidificação da sociedade. São os Governantes, os Órgãos de Soberania e demais titulares de cargos políticos que não devem esquecer-se que foram eleitos para servir e respeitar o povo. É bom que também a Sra. Presidente, recupere um estado de consciência saudável, e se habitue à ideia de que deve acima de tudo representar os interesses dos portugueses, porque ainda restam alguns cidadãos capazes de repor ordem no aparelho de estado, do qual alguns se apoderaram para servir interesses pessoais.

Ontem, a Sra. Presidente da Assembleia da República impediu mais uma vez que exercesse os direitos que me são concedidos pela constituição da República, forçando ainda as forças de polícia a incumprir com o Artº 272. As inúmeras inconstitucionalidades das medidas apresentadas pelo Governo são mais uma prova incontestável dos crimes que têm vindo a ser praticados. Testemunhamos uma pressão sem precedentes sobre o Tribunal Constitucional motivo pelo qual questiono a Sra. Presidente; quais foram as medidas de coação aplicadas ao Governo e respetivos titulares de cargos pelas suas atuações e tentativas criminosas contra o povo? Quais as diligências que a Sra. Presidente da Assembleia da República desenvolveu nesse sentido?

Permita que lhe relembre que todos os Órgãos ao serviço do Estado devem respeitar a população e que a República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado na soberania popular. Permita ainda que lhe relembre que são tarefas fundamentais do Estado garantir, entre outros, os direitos e liberdades fundamentais, o respeito pelos princípios do Estado de direito democrático e promover o bem-estar e a qualidade de vida do povo e a igualdade real entre os portugueses. Não se esqueça também que a remuneração que aufere provém do esforço diário dos portugueses.

Fica naturalmente patente que a Sra. Presidente da Assembleia da República não serve os interesses do povo português. Estando esgotados os meios em Portugal, para salvaguardar os direitos dos Cidadãos que estão a ser violados pelos próprios Órgãos do Estado, participarei ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos e restantes instituições que se afigurarem oportunas, a forma como os titulares de cargos públicos/políticos e/ou presidem Órgãos de Soberania portugueses, têm vindo a atuar.
Estou a ser lesado, assim como a maioria da população, pela conivência de V. Ex.a com os crimes que resultam da fraude do sistema monetário.

Também a Sra. Presidente da Assembleia da República poderá vir a ser responsabilizada por negligência na atuação ou prevenção de crimes contra a humanidade, designadamente pelas mortes que resultam de suicídios ou/ou de mortes diretamente relacionadas pela falta de acesso a cuidados de saúde, factos diretamente relacionados com a fraude do sistema monetário. Da referida fraude resultam outras numerosas consequências graves, conforme tem conhecimento.
Lutarei até às últimas consequências pela expulsão daqueles que se apoderaram do aparelho de Estado em proveito próprio e para servir interesses de corporações que os beneficiam.
Pede deferimento
De: Ivo Margarido [mailto:ivomargarido@maisiniciativa.pt] 
Enviada: quinta-feira, 6 de Março de 2014 10:48
Para: 'Assunção Esteves (assuncao.esteves@ar.parlamento.pt)'
Cc: 'Maria da Assunção Esteves (GABPAR.Correio@ar.parlamento.pt)'
Assunto: AVISO

Neste link, os esquemas do sistema financeiro





9 comentários :

  1. Subscrevo toda a acção que vise replicar cá o que foi feito na India conseguindo ser o 2º partido mais votado = o Partido dos Cidadãos Comuns.Pelo que sei só duas ideias maiores : reduzir a corrupção e os tachos em politica.

    ResponderEliminar
  2. Mais um escândalo!08 março, 2014 20:37

    E não é que os maiores partidos querem rever à pressa a lei eleitoral, não para a introdução do voto preferencial e nominal nas listas, mas sim para "contornar" a lei que obriga ao tratamento igual a todos os partidos na cobertura jornalística e televisiva das campanhas! Estes partidos que desgraçaram os Portugueses fingem que não entendem os "sinais" da abstenção e continuam a "assobiar para o ar". Na realidade isso só demonstra que são partidos antidemocráticos que capturaram o Poder para seu benefício e das suas clientelas. Com esse comportamento estão a minar e a destruir a (pouca) Democracia que ainda temos. Vivemos sob o jugo de uma Ditadura de Partidos. Só não vê isso quem está em absoluto estado de negação.

    ResponderEliminar
  3. Subscrevo totalmente a acção deste cidadão.
    Hajam muitos corajosos que, como eu, o apoiem.

    ResponderEliminar
  4. Pena que estás ações não sejam noticia nos pasquins do costume : Publico, JN, DN ou Expresso, não esquecendo os telejornais nacionais rtp 1, rtp 2, sic e TVI.
    Para o português comum estas ações e seus motivos, são totalmente desconhecidos.

    ResponderEliminar
  5. De louvar! Homem com H infinitamente grande!

    ResponderEliminar
  6. publicar no facebook, è uma maneira de fazer acordar as pessoas. è o que tenho feito. e com optimo resultado os amigos agradecem, e divulgam, se todos o fizerem, este site, contribui para a mudanca, e esses (senhores) todos, prestarao contas dos crimes que cometem, e cometeram brevemente. jà comentei que na suica, jà estavam presos hà muito tempo. estou na suica, por isso sei do que falo, aqui e impensavel essa corrupcao acontecer. nao penso regressar, muitos emigrantes como eu, pensam igual, ate ir, de ferias, ja comeca a ser complicado, com esse sistema das IP !! custa a pagar mais de 90euros de Vilar-Formoso a Aveiro!!! tenho familiares que o salario que recebem nao chega para as despesas. optam por ficar na prisao,( figurado) mas a verdade, transformaram PORTUGAL numa grande prisao, o futuro e negro. quase que so falta venderem as pessoas. bravo grande ZITA

    ResponderEliminar
  7. Muito bem, pena seja que a grande maioria do povo português desconheça. O povo tem de ser mais forte e mostrar um cartão vermelho aos politicos através da abstenção, nunca mais vou votar enquanto não mudarem o sistema, afinal de que vale votar num daqueles partidos. Procuro sempre divulgar com quem falo aquilo que se passa, e muitos ficam espantados enquanto que outros não ligam nenhuma, talvez por isso estejamos como estamos. Parabéns pelo Blog, venho cá sempre que posso e divulgo.

    Daniel M.

    ResponderEliminar
  8. Eu vou partilhar no facebook, twiter e no Google afim de ser lida pelo maior número de cidadãos que estarão de acordo e subscreverão a presente carta onde o compatriota Ivo denuncia as fraudes de que o povo sido vítima e sofrido no dia a dia as agruras da política levada a cabo pelos partidos do arco governamental, pois tornaram o pais numa sua coutada donde sacam tudo o que lhes dá proveito. Por uma alternativa política e livre de troikas, acordai.

    ResponderEliminar
  9. Acção é necessária. Consciência para o poder que, unidos, representamos.
    Que não ha forma de nos contornarem
    se essa for a nossa vontade...
    Quem me dera estar fora deste sistema. Nao posso! Entao o sistema devo combater

    ResponderEliminar