05 setembro, 2013

MINISTRA DA JUSTIÇA AMEAÇA, OU ACEITAM REDUZIR SALÁRIOS OU HAVERÁ MAIS DESPEDIMENTOS


VIDEO APENAS DE SOM, pois foi divulgado há momentos.

Não desistem de punir os inocentes, de bater nos que trabalham, de castigar os honestos, e lesar os mais desprotegidos... 
Enquanto isso, as elites parasitas e corruptas permanecem intocáveis, cada vez mais ricas, protegidas e a salvo da austeridade e da crise, que provocaram.
"Em entrevista à TVI 24, Paula Teixeira da Cruz aconselhou mesmo os sindicatos a negociarem reduções salariais para que fiquem protegidos postos de trabalho e, deu como exemplo a seguir em Portugal, o que foi feito na Alemanha nos anos 90. Nesse período, o país atravessou um período difícil e a única opção era cortar nos salários ou despedir trabalhadores, sendo que, observa a ministra, os sindicatos optaram pelas reduções."fonte

Ministra da Justiça deixou bem claro, quais são as intenções eminentes do governo;  vão mesmo avançar com cortes nos salários...
Em obediência cega ao FMI, que por sua vez anda a ver muito mal? Pois parece que os relatórios que chegaram ao FMI sobre os cortes salariais, estavam distorcidos e levavam a concluir que se deveria cortar mais.

Pura chantagem, ou os sindicatos aceitam cortes nos salários, ou vai haver despedimentos?
É assim mesmo, um governo que insiste em ser duro com quem trabalha e mole com os parasitas.
Claro que, já todos sabemos, também, que os cortes devem deixar de fora os juízes e os famosos 15 tachos, sócios do amante da Ministra, denunciados por Marinho Pinto.

Protecção aos ricos
Nos impostos
Nos grandes negócios com o estado
Protege os ricos, pagam os pobres
Haja coragem, diz Paulo Morais, aos cobardes
Medina acusa austeridade selectiva
Elites
etc etc etc

05 Set, 2013 "Os salários caíram em Portugal, pelo segundo ano consecutivo. Um estudo da consultora Mercer revela ainda que 31% das empresas congelaram os ordenados e 18% tencionam mesmo despedir funcionários ainda este ano." fonte
.

9 comentários :

  1. Afinal qual deve ser a dimensão de um estado?
    Em ministérios, direcções-gerais, organismos locais, empresas públicas, fundações e quejandos?

    Porquê a estrutura do estado central alemão tem de ser semelhante - provavelmente em alguns casos menor - à do estado português, se aquele serve 80 milhões de pessoas e este apenas 10 milhões?

    Porque será que não existe uma directiva definindo limites máximos para a estrutura do estado-membro consoante a população que serve? há na

    Quantos juízes há, em média quantos processos despacham por ano, qual o seu vencimento face à média nacional dos vencimentos na Alemanha?
    E por cá?
    Quantos advogados, sociedades de advogados e procuradores existem per capita nos dois países?

    E, já agora, porque será que não existem directivas para o ordenamento do território, incluindo o administrativo, por áreas, população, pib ou outras?

    Sra ministra: Quer cortar vencimentos? Dê o exemplo: Comece pelos juízes e procuradores!! Ou será que tem medo?






    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo que é necessário uma dimensão e uma gestão racional do Estado.

      Mas, é necessário ter cuidado com os exemplos que usamos e atender às particularidades de cada caso.

      A Alemanha é uma república federal constituídas por 16 Estados (Lander).
      Para além do governo federal existem em cada um dos Estados federados (Lander) um governo regional.

      Tal como nos EUA. Para além do governo federal, cada um dos Estados (50) possui o seu próprio governo.

      Cumps.,
      Falso Vate

      Eliminar
  2. É de bradar aos céus...

    Ainda ontem (04/09/2013)ficamos a saber pela comunicação social que os vencimentos dos gestores do sector empresarial do Estado deixaram de ter limites (isto é, de estar indexados ao vencimento do primeiro-ministro).

    Anda a passar na TV um "anúncio" relativo à transformação do Colégio Militar numa instituição mista.

    Será que não poderiam usar algo idêntico para denunciar tudo o que este blog denuncia e recorrendo a caras conhecidas (sem o sentido "catroguiano" da expressão)?

    E as tais figuras públicas que dão a cara pelo Colégio Militar não se indignam com a situação do país? De milhares de famílias e de empresas? O estado da economia portuguesa? A ausência de responsabilização da classe política?

    Se não conseguem ouvir o "gemido" das ruas, dos lares, das micro e pequenas empresas, então estão surdos!

    Cumps.,
    Falso Vate

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque razão os nossos políticos incompetentes, permitem que num país arruinado, em parte pelo endividamento das empresas públicas, que apresentam "buracos" sem fim à vista, haja administradores, presidentes, gestores públicos, etc a ganhar estrondosamente? Ganhos estes a que ainda se somam regalias igualmente estrondosas? Ganhos estes ofensivamente superiores mesmo aos dos próprios políticos que os escolhem???

      Só consigo encontrar uma resposta:
      Esta permissividade irracional e abusadora acontece porque os políticos sabem que após acabarem os mandatos, irão ser bafejados por esses mesmos salários principescos, que eles legislaram e aprovaram.
      Com a certeza de que poderão ocupar cargos de luxo nessas empresas que lhes permitirão "vingar-se" de terem vivido 4 anos "miseráveis", sob o jugo de um mandato "miserável", a ganhar "miseravelmente". Eles sabem ainda que no governo geralmente são apenas 4 anos de salário, e nestes tachos das empresas públicas, pode ser o resto da vida.
      Só por essa razão se justifica que os nossos políticos não coloquem um fim a estes salários, um autentico e descarado, sorvedouro dos impostos dos portugueses. Estão a assegurar o seu futuro.

      Mas quem os contrata (os políticos) insiste que estes cargos sejam ocupados por políticos e amigos. Estão reservados à décadas para eles próprios e não para pessoas normais.
      Têm várias vantage
      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/10/os-salarios-estrondosos-dos-que.html#ixzz2e34UovsP

      Eliminar
  3. Bom dia, vi uma noticia num jornal que o iluminado do ministro da economia ganhava perto de 800 mil euros por ano. Agora tem um vencimento de 5.000 por mês. Mas alguém acredita que o Pires de Lima senão tivesse contrapartidas, que este sr. ia abdicar dos seus pornográficos rendimentos para ajudar a ganhar uns miseráveis trocos. Claro trocos em relação aos cerca de 800 mil euros. É óbvio que o poleiro interessa a corja dos mamões. Se acabassem com a impunidade política, desapareciam os criminosos, os ladrões os vigaristas. Era uma verdadeira limpeza. Nem era preciso as eleições. Apenas quem comete crimes tem de ser julgados e não enfiar a cabeça na areia e acreditar na impunidade que é tudo gente "honesta". De facto, honestos é que não tem nada essa classe de escumalha dos políticos.

    Em relação ao tema do blog esta amostra de ministra da justiça, deve ser burra ou faz dos outros parvos. Vem dar o exemplo da Alemanha nos anos 90. Mas o custo de vida que tem portugal, como se pode pensar em baixar os salários, para fazer face as despesas diárias. Só nestas cabeças burras de quem nos desgoverna pode ter um pensamento destes. Vá lá ainda não se lembrarem seguir o exemplo da china trabalhar 16 horas diárias quase pelo prato de arroz. Só se chega ao progresso social quando se trabalha de forma honesta e se cria alguma riqueza. Ora trabalhar e ser pobre passar fome, quase não ter dinheiro para se deslocar de casa para o trabalho.

    Miséria de portugal, mas é este o retrato dos dias actuais. Governo parasita, só merda só corruptos. Só porcos imunes naquele parlamento. Até metem nojo e raiva ao cidadão honesto deste País

    Fernando

    ResponderEliminar
  4. A destruição do colégio militar e o aproveitamento particular das instituições públicas, faz parte da estratégia de estragar para reinar. Esta sra. ministra qd esteve na Assembleua Municipal da CMLisboa viabilizou ou perrmitiu sem se lhe conhecer vontade opositiva vários crimes urbanísticos e ou económicos. Um que ainda está por legalizar é o caso do gasómetro da Infante Santo, a sra. Presidiu à comissão de urbanismo dessa assembleia e numa das suas actas deliberou não encontrar irregularidades no processo. Muita incompetência, ou muita corrupção? Escolham. É claro que para se tirar o curso de direito na U. Lusíada tem de se ser muito fraquinho. As médias para entrarem em Direito eram
    muito baixas. Alguém com coragem investigue esse caso e perceberá o seu silêncio. Vejam quem teve ou tem casa nessa fraudulência criminosa num terreno que deveria ter revertido para a CML.

    ResponderEliminar
  5. Quem gosta de fugir da demagogia barata deve perguntar o que faz que na Alemanha haja greves de horas ou de um dia no máximo e por vezes estão tres e 4 anos sem greves em muitos sectores e em Portugal que está na miséria as greves (sector publico) sejam frequentes e de dias ou semanas.Será que os sindicalistas são melhores em Portugal?; será que os trabalhadores são mais conscientes em Portugal? Será que as lutas heroicas revolucionárias ajudam ao desenvolvimento e progresso do povo portugues? sera que os alemaes são umas bestas que não conhecem os seus direitos? as greves só prejudicam os ricos aqui? o atrazo do país é só consequencia dos ricos roubarem? ou do esforço de todos e das boas opçoes dos eleitores ao votar, no governo ou nos sindicatso?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Greves e sindicatos protegem quem ou o quê?

      greves corrupção
      Os trabalhadores da NAV, empresa pública de controlo de tráfego aéreo, ganham um salário médio de 10 mil euros por mês, sendo que os funcionários com remunerações mais elevadas atingem os 12 500 euros mensais. Fonte
      No entanto, no mundo da NAV estes salários não são suficientes e as receitas que obtém são gastas em luxos.
      Este ano foram gastos quase 22 mil euros em serviços de "acompanhamento e entretenimento" das crianças dos trabalhadores no Verão. Em 2011 a história foi a mesma.
      O jantar de Natal da NAV Portugal custou a módica quantia de 22.074 euros. A avaliar pela entidade adjudicada, a festa decorreu num hotel de cinco estrelas em Lisboa. Estará o FMI a par disto?
      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/12/greves-e-sindicatos-protegem-os-que.html#ixzz2eCJY8aH4

      Eliminar
    2. GREVES PARA QUÊ? Alinhamos em tudo e eles ganham sempre.
      "(...) por ano as confederações patronais e as centrais sindicais com assento na Concertação Social recebem cerca de 500 mil euros do Orçamento do Estado, através do Conselho Económico e Social (CES). Mas a este valor ainda acrescem mais 551 mil euros de despesas com pessoal do próprio CES e cerca de 90 milhões destinados aos centros protocolares e participação na concertação social."Fonte

      Se realmente estes senhores quisessem resolver os problemas dos trabalhadores, sufocados por impostos e massacrados pelo flagelo do desemprego, convocavam uma
      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/11/greves-para-que-alinhamos-em-tudo-e.html#ixzz2eCJfleJR

      Eliminar