29 julho, 2013

O DESESPERO DOS GOVERNOS PARA TAPAR DESFALQUES DO ERÁRIO PÚBLICO



Marinho Pinto deixa-nos mais uma história que deveria indignar muita gente... Não apenas porque uma professora foi multada...
Mas porque os governos insistem em castigar os mais pobres e indefesos, para pagarem os desfalques dos ricos e protegidos.
A forma como se faz justiça em Portugal, já não serve a justiça, já não é importante ser justo, importa é servir-se da lei para extorquir até à última gota, o que interessa aos governantes e seus amigos - os poucos euros que ainda pairam nas carteiras dos portugueses. Não importa zelar para que se cumpra a lei da estrada, importa sim deixar que a infrinjam para legitimar mais um saque, saques estes, que para muitas famílias significa, passar fome.
E tudo isto porque vivemos num país desesperado, desfalcado, que quer a todo o custo que os pobres paguem os roubos dos ricos.
"Uma professora de uma escola de Aveiro que reside em Coimbra foi multada em 100 euros por uma brigada da GNR por não ter imobilizado o seu carro no entroncamento da estrada 235 com o acesso às portagens da autoestrada A1, quando vinha de Aveiro. Ao aproximar-se desse entroncamento, a estrada 235 oferece uma via exclusiva para quem vai virar à esquerda para entrar no acesso à A1, mas com um sinal de stop.
Sucede que a visibilidade é excelente para o trânsito, quer o que circula na 235 em sentido contrário (esta via prolonga-se numa reta em frente com cerca de duzentos metros), quer para os que saem da própria autoestrada (também com uma visibilidade de mais de cem metros). Por isso, a professora limitou-se a reduzir a velocidade para os 10 ou 20 km/hora, até para poder curvar 90 graus à esquerda, mas não parou pois não havia qualquer trânsito. Imediatamente surgiu um soldado da GNR que a multou por não ter imobilizado o carro. Ela bem tentou argumentar que não circulava qualquer outra viatura; ela bem perguntou: «para quê parar se não havia nenhum outro veículo em nenhuma das estradas»? Mas nada, o senhor agente manteve-se inflexível a aplicou-lhe a lei com toda a severidade. E como a professora não tinha dinheiro para pagar a coima na hora, então o senhor GNR confiscou-lhe a carta de condução.
Se narro este episódio é porque ele, na sua bruta singeleza, revela algumas coisas que devem ser realçadas.
A professora em causa vive em Coimbra e trabalha em Aveiro para onde se desloca todos dias, desde há oito anos consecutivamente, na sua viatura com mais de dez anos. Só houve um ano em que teve um horário letivo compatível com os horários da CP que lhe permitiu fazer as viagens de comboio. A professora não beneficia de transportes gratuitos ao contrário do que sucede com outros servidores do Estado. Também não tem qualquer subsídio de habitação como acontece com todos os magistrados nem recebe ajudas de custo por cada dia que vai à sua escola como acontece com alguns magistrados de alguns tribunais de Lisboa. Antes deste Governo tomar posse a professora recebia cerca de 1500 euros mensais. Porém, o atual Governo achou que era muito e, contrariamente ao que lhe garantira durante a campanha eleitoral, apropriou-se de uma parcela do seu ordenado, aumentou-lhe brutalmente os impostos (IVA e IRS) e retirou-lhe os subsídios de férias e de Natal. 
Tudo para, entre outras coisas muito meritórias, pagar o desfalque que uma quadrilha de notáveis do PSD fizera a um banco privado, o BPN.

Mas este episódio revela também que as forças de segurança, com destaque para as suas secções de trânsito, andam numa caça desenfreada às multas por ordem direta do Governo. Com efeito, o ministro da Administração Interna reconheceu recentemente que deu instruções políticas para as polícias aplicarem mais multas. Como não conseguem aumentar as receitas fiscais, como já venderam (quase) tudo o que havia para vender neste país, resta a intensificação das várias fiscalizações suscetíveis de confiscar mais uns euros aos portugueses.

E as polícias, sobretudo a GNR, aí estão pressurosas a cumprir mais essa tarefa de exação dos cidadãos, sobretudo dos que circulam nas nossas estradas.
As suas patrulhas não se mostram aos condutores para dissuadirem a prática de infrações - escondem-se para aplicar multas. Quando algum carro da GNR circula nas autoestradas chegam a formar-se filas enormes de veículos pois os condutores aí respeitam os limites de velocidade e, obviamente, respeitam os agentes da autoridade. Mas eles não querem isso. O que dá dinheiro ao Governo e às polícias são as infrações. Por isso as patrulhas escondem-se e disfarçam-se nas estradas para não serem vistos, pois só assim os condutores cometerão infrações e poderão ser multados. Muito provavelmente, até lhes estabelecerão metas (montantes) a atingir em multas ou oferecerão um «prémio de produtividade» proporcional às quantias que conseguirem sacar aos cidadãos mais negligentes.
Com tais métodos, melhor seria que a divisa da GNR «Pela Lei e pela Grei» passasse a ser «Pela Lei e contra a Grei». Fonte

11 comentários :

  1. Se havia um sinal STOP a senhora devia parar... S-T-O-P... Muito bem aplicada a multa. (Sydney)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O sr º parece-me que não percebeu o cerne da mensagem de Marinho Pinto... no meio de todas as denuncias que ele faz, não houve momento nenhum em que se estivesse a discutir se se deve ou não parar num stop. Se se deve ou não multar quem não para num stop.
      Há imensas coisas que este artigo denuncia e a menos importante é certamente a professora que se atreveu a passar o stop.

      Eliminar
    2. Ó camelo... o governo também está cheio de ladrões e corruptos que deviam estar presos e não só andam à solta como continuam a roubar. Mas isso já não te preocupa né?

      Eliminar
    3. deixa de ser parvalhão maior,

      Eliminar
    4. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
      A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
      Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
      Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
      A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
      MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK

      http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

      Eliminar
  2. Apesar de populista podemos interrogar-nos o que tem feito a GNR/policias por nós? alem de me pregarem fartas vezes multas (e muito bem aplicadas como diz (Sydney)) das seis vezes que a casa foi assaltada deram-me imensas idas ao posto e um número de processo que guardo religiosamente de tão importantes que se tem mostrado = para o MAI possa apresentar umas estatisticas muito bem trabalhadas para mostrar imenso "serviço" das nossas valorosas e valiosas(caras) forças da ordem! Bem mas ficam isentas das regras para o resto dos energumenos (mobilidade,redução horario...) o respeitinho é muito bonito e "eles" sabem muito a respeito dos que têm enchido o saco!!!

    ResponderEliminar
  3. As polícias foram devidamente compradas, já o ano passado, com aumentos da casa do 10% quando todos os outros sofriam cortes.

    Convém, para os borboletas da política (poisam mas não fazem mossa) que se dediquem a aprender a pressionar, denunciar, holiganizar ao limite se entenderem, essas nódoas negras da vida pública, convertidas em estrelas brilhantes pelo voto de um povo imbecilizado, apenas preocupado em ir às centenas de concertos que por aí chupam o dinheiro que sobra, em tempos de crise.

    Maria Luisinha Aldoquerque, tecnicamente fraca e politicamente nula mas, resplandescente na arrogância e na mentira pública que, tipicamente, esconde os ambiciosos sem escrúpulos - esteve nos gabinetes do governo do Pinóquio - esconde a sua violenta incompetência atrás de uma máscara de gente séria e capaz.

    Luisinha: Mesmo que não te tivessem enviado qualquer mail, TU SABIAS que TU tinhas assinado swaps na CP.
    É óbvio que, na mesma ocasião, perante os mesmos bancos, as mesmas preocupações e com a corrupção dominante no sistema, A MAIORIA dos teus teus coleguinhas financeiros, fizeram a mesma merda que tu tinhas feito: assinar, ou propor às administrações a assinatura de swaps.

    Tu "esqueceste-te" deles porque tens o teu avantajado rabinho preso pelos teus amigos banqueiros e estes, não querem o fim de mais esse avantajado negócio...!

    Mas nos negócios em que tu te havias metido, foste logo limpar a porcaria que tinhas feito
    Grande mulher! Estás ao nível do Passos e do Pinóquio.
    Ainda vamos ter saudades do Gnomo Gaspar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. MARIA LUIS ALBUQUERQUE AS SWAPS E OS TACHOS



      Maria Luís Albuquerque é daquelas aves raras que permanecem eternamente, a pairar de tacho em tacho, pelos governos, a fazer das suas e zelando para encobrir determinadas coisas, escapando ilesa, protegida por uma mão de Deus ou de Nossa Srª de Fátima (como diria o nosso saudoso, PR Cavaco Silva).
      Maria Luís Albuquerque e a sua girl.
      Ao minuto 4 deste video, Paulo Morais denuncia mais um caso de promiscuidade e nepotismo, protagonizado pela protagonista do Swa
      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2013/05/maria-luis-albuquerque-as-swaps-e-os.html#ixzz2aTZmUniM

      Eliminar
  4. Fiquei impressionado como um simples comentário poderia mostrar como funciona a mentalidade portuguesa... Primeiro li detalhadamente a maneira como a conductora reduziu a marcha para 10 (o ou dobro?!) mas não quiz parar... Depois temos um comentarista que me chama "de camelo" porque, imagino, não concorda com a minha opinião... Chegando-se à conclusão que Portugal nunca irá longe com "if's nem but's" e com o desrepeito pela opinião dos outros. (Sydney-Australia)

    ResponderEliminar
  5. 2013 What is the Illuminati? Skeptics see this - Amazing 48 minutes of Information http://www.youtube.com/watch?v=n63PnML6irA&feature=youtube_gdata_player Quem estiver interessado em saber tudo o que está por detrás disto tudo que é denunciado aqui diariamente veja por exemplo este video - e como este há tantos mais, tão esclarecedores de para onde caminhamos, conduzidos como carneiros para o matadouro por uma Elite malévola que controla os governos do mundo e os Bank cartels e que esta implementando nas nossas barbas, sem que a maioria se aperceba, uma Agenda (Agenda 21) com ruma à Nova Ordem Mundial, em que se planeia exterminar 90% da população do planeta.

    ResponderEliminar
  6. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
    A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
    Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
    Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
    A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
    MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK

    http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

    ResponderEliminar